VINTE E CINCO FRASES PARA LER NO OUTONO, ACOMPANHADAS POR ALGUNS TRABALHOS DE ALEXANDER CALDER (1898-1976) [Raul J.M. Arruda Filho]

VINTE E CINCO FRASES PARA LER NO OUTONO, ACOMPANHADAS POR ALGUNS TRABALHOS DE ALEXANDER CALDER (1898-1976) 

 
− A ausência diminui as paixões medíocres e aumenta as grandes, assim como o vento apaga as velas e atiça as fogueiras. (La Rochefoucauld)

− Quando um homem se interessa pelo corpo de uma mulher, ela o acusa de só se interessar pelo corpo dela. Mas, quando ele não se interessa pelo corpo dela, ela o acusa de só se interessar pelo corpo de outras mulheres. (P. J. O’Rourke)

− Se me derem o luxo, posso passar sem o indispensável. (Oliver Wendell Holmes)

− A vida é dura e os primeiros cem anos são os piores. (Wilson Mizner)

− Uma celebridade é uma pessoa que trabalha duro a vida inteira para se tornar conhecida e depois passa a usar óculos escuros para não ser reconhecida. (Fred Allen)


− O principal problema da democracia é a lamentável tendência a fazer com que as pessoas acreditem que todos os homens são iguais, quando basta uma olhada ao redor da sala para ver que não é bem o caso. (Fran Lebowitz)

− Pedir desculpas é assentar o terreno para futuras ofensas. (Ambrose Bierce)

− Toda mulher gosta de apanhar. Menos a neurótica. O homem é que não gosta de bater. (Nelson Rodrigues)

− Só o que bota pobre pra frente é empurrão. (Barão de Itararé)

− Moralista é simplesmente a atitude que adotamos em relação às pessoas com quem antipatizamos. (Oscar Wilde)


− O infeliz namorado tinha o sestro, aliás comum, de querer ver quebrada ou inútil, a taça que ele não podia levar aos lábios. (Machado de Assis)

− Nada é mais engraçado do que a infelicidade. É a coisa mais cômica do mundo. (Samuel Beckett)

− Devemos à Idade Média duas das piores invenções da Humanidade: a pólvora e a idéia de amor romântico. (Andre Maurois)

− Os homens não fervem à mesma temperatura. (Millôr Fernandes)

− Gosto de homens que se comportem como homens – enfim, que sejam fortes e infantis. (François Sagan) 



− Algumas mulheres permanecem na memória de um homem, mesmo que ele as tenha visto por um único segundo, atravessando a rua. (Rudyard Kipling)

− A mentira é a verdade atrás da máscara. (Lord Byron)

− Não há nada errado com minha mulher que um milagre não possa curar. (Henny Youngman)

− Os pais são os ossos com que os filhos afiam os dentes. (Peter Ustinov)

− Quando uma mulher "erra", os outros homens acertam o passo atrás dela. (Mae West)

− Não há fatos, só interpretações. (Friedrich Nietzsche)

− Artistas têm o direito de ser modestos e o dever de ser vaidosos. (Karl Kraus)


− O brasileiro, quando não é canalha na véspera, é canalha no dia seguinte. (Nelson Rodrigues)

− As mulheres começam por resistir aos avanços de um homem e terminam por bloquear a sua retirada. (Oscar Wilde)

− Um egoísta é alguém desprovido de consideração pelo egoísmo dos outros. (Ambrose Bierce)



Raul J.M. Arruda Filho, 53 anos, Doutor em Teoria da Literatura (UFSC, 2008), publicou três livros de poesia (“Um Abraço pra quem Fica”, “Cigarro Apagado no Fundo da Taça” e “Referências”). Leitor de tempo integral, escritor ocasional, segue a proposta por um dos personagens do John Steinbeck: “Devoro histórias como se fossem uvas”. 

Todos os direitos autorais reservados ao autor.

0 comentários: