Bibi Ferreira é ovacionada em sua primeira apresentação nos EUA [Tonica Chagas]


Mauro Salviano/ Estadão

Bibi Ferreira é ovacionada em sua primeira apresentação nos EUA

Artista encerrava o 'Bibi in Concert' quando improvisou dueto com Liza Minelli em New York, New York

Tonica Chagas - ESPECIAL PARA O ESTADO

NOVA YORK - Aos 90 anos de idade e 72 de profissão, Bibi Ferreira foi ovacionada ao final da sua primeira apresentação em Nova York, na noite de domingo e, antes do bis, acabou improvisando um dueto com a atriz americana Liza Minnelli. De mãos dadas, elas cantaram os versos finais da música-tema do filme New York, New York, dirigido por Martin Scorsese e estrelado por Liza ao lado de Robert De Niro, em 1977.
Bibi voltava para o bis (no que também foi seu único espetáculo na cidade) quando seu empresário, Nilson Raman, avisou-a que Liza estava entre as mais de mil pessoas que lotavam o Alice Tully Hall, no Lincoln Center, e a aplaudiam de pé. Ao ver Liza na terceira fila do teatro, Bibi a chamou para o palco. O espetáculo ficou interrompido por alguns minutos enquanto a artista americana tentava chegar até a brasileira buscando uma porta à esquerda da plateia. Como a passagem por ali estava fechada, Liza foi levada, correndo e aos tropeços, para o lado oposto.

Abraçadas e acompanhadas em coro pelo público, Bibi e Liza (que completou 67 anos no mês passado) cantaram os versos mais conhecidos da canção que se tornou um hino informal da cidade desde que foi composta por John Kander e Fred Ebb, há mais de 30 anos. Em resumo, a letra diz que o que for possível se fazer em Nova York pode ser feito em qualquer lugar. Como a cantora e o saxofonista do filme, Bibi diz que esse era um sonho que ela alimentava desde criança, quando via musicais americanos no cinema - muitos deles com Judy Garland, mãe de Liza: cantar na capital mundial dos musicais.

Em Bibi in Concert (o mesmo show apresentado no Brasil como Bibi - Histórias e Canções), a atriz e diretora responsável pelas primeiras montagens de musicais no Brasil, nas décadas de 1960 e 1970, entremeou músicas em português, inglês, francês, espanhol e italiano com uma breve autobiografia. Às vezes abafada pelo volume da orquestra, Bibi cativou o público falando em inglês (que aprendeu na infância, num colégio britânico no Rio de Janeiro), fazendo muitas pessoas chorarem com suas interpretações e também provocando gargalhadas. Como quando, ao apanhar um lenço para enxugar o nariz, explicou o motivo do seu desconforto: "Sou alérgica a teatro!" 





Fonte:

0 comentários: