Cada passo de uma vez...[Dy Eiterer]

Cada passo de uma vez...


Ninguém se assume fraco e isso já dizia o poeta Fernando Pessoa, por ele mesmo, não os heterônimos, salvo minha memória que vive a me pregar peças. Mas eu me assumo! E isso eu disse outro dia, cheia de mim!

E me assumo mesmo! Já levei porrada, já perdi muitos jogos, muitas batalhas, mas nunca a guerra, porque essa só perderei no dia em que meu sangue escorrer pelo chão. A guerra só estará vencida quando conseguirem fechar meus olhos pra que eu não veja o sol. Só estarei vencida quando não puder mais sonhar com a lua e o brilho das estrelas. Antes disso, ainda respirarei e ainda terei o gosto pela luta.

Ah, por quantas vezes já sofri... por quantas vezes já vi meu coração despedaçado porque julgava não poder voltar atrás com minha palavra... perdi pontos comigo mesma. Quase perdi esse jogo, mas deu tempo de salvar, de me salvar. Deu tempo de aprender a negociar as promessas, a aprender a me desligar de promessas cujo receptor não as merecia.

E já chorei muito por ter agido da maneira errada. Algumas vezes fui parasita, peguei carona na ideia do outro, comprei brigas que não eram minhas, contei vantagens que nem sequer sabia como tinham sido tiradas... que vexame! Se alguém mais atento me fizesse uma simples pergunta me pegaria na curva, sem lenço, sem documento, sem explicação. Um verdadeiro papelão...

Por quantas vezes já chorei debaixo do chuveiro, lugar que eu gosto mesmo é de cantar, de me achar a diva da música... já chorei abraçada aos joelhos por motivos bobos, por motivos que mereciam e em algumas crises que nem sabia o motivo. Só chorava... deve ser isso que acontece quando entramos no tal inferno astral... pode ser essa a explicação...

Ridícula eu? Desconfio que todos somos. Eu sou! O ser ridículo é aquele que não anda na moda? Muito prazer, eu crio a minha moda! Franja não está em alta? Eu estou, corte o meu cabelo, por favor! Vestidos estão em baixa... oh, que maravilha! Quero três: um de cada cor! E daí que não se combinam mais os sapatos e as bolsas, que já não se ouvem Queen? Quero mais que o mundo se exploda em confetes que é para eu fazer a minha festa! Não tenho vergonha de ser eu e assumir as minhas vontades e gostos. Ridícula, pode ser! Não ligo!

Ah, olho para os lados e vejo tanta gente bonita, elegante, inteligente! Todos nasceram assim: sabendo tudo! Pena eu não os invejar... acho que deveria, mas não consigo... estou bem nesse caminho de aprender cada dia um passo. Penso que ao descobrir o mundo aos poucos vou saboreando-o muito mais, apreciando cada nota do sabor, sorvendo tudo o que há de mais refinado e delicado.

Olho para os lados e tenho apenas o desejo de ver mais pessoas que se assumam como são: verdadeiras, de carne, osso, defeitos, gostos, medos e sonhos...

Seria tão bom livrar-me dessa angústia que me aperta o peito quando tenho a impressão de ser só nesse mundo, de não ter pares, de estar no planeta errado...

Fico cada dia mais cansada desses super gênios, modelos e exemplos que me aparecem... ou a loja de máscaras está com um sucesso absoluto – e temo pelo dia em que as máquinas de produção derem pane e todos percam seus disfarces – ou estou mesmo num mundo que não me pertence.

Algo está errado. Sou eu? São os novos deuses perfeitos que me cercam? São meus defeitos e falhas que se alojaram em meu espírito ao invés de ficarem bem longe? Não sei, mas enquanto busco essa resposta vou andando pelo caminho a observar cada flor, cada espinho, apreendendo cada detalhe na memória, porque se um dia me esquecer quem eu sou vou lembrar pelo menos de onde eu vim...

Dy Eiterer- Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. Edylane é Edylane desde 20 de novembro de 1984. Não ia ter esse nome, mas sua mãe, na última hora, escreveu desse jeito, com "y", e disse que assim seria. Foi feito. Essa mocinha que ama História, música e poesia hoje tem um príncipe só seu, seu filho Heitor. Ela canta o dia todo, gosta de dançar - dança do ventre - e escreve pra aliviar a alma. Ama a vida e não gosta de nada morno, porque a vida deve ser intensa. Site:Dy Vagando

0 comentários: