Contos de Amores Vãos [Uili Bergamin]

Contos de Amores Vãos 

Sinopse

Publicado em 2011 e contemplado via LIC Federal, contêm vinte textos independentes, vários deles premiados em concursos nacionais, que versam sobre um aspecto inusitado do amor: sua impossibilidade de plenitude e a frustração que isso acarreta. A sensação de incompletude se faz presente em cada página, sem enfeites ou demagogias. Os contos transitam entre o realismo e o realismo fantástico. Também no formato os textos fogem do convencional, alternando formas narrativas. Pela temática e pelo estilo, estes contos causam estranheza e arrebatamento, objetivo primordial de qualquer obra literária de valor. 
"Contos de Amores Vãos" foi eleito o Livro do Mês, no Mês do Livro, abril, em Passo Fundo, Cidade das Letras.

Nos próximos dias 22, 23 e 24 estarei por lá ministrando conferências sobre a obra para acadêmicos da UPF, alunos das escolas da cidade e região e comunidade em geral. É uma espécie de preparação para a Jornada Literária, um dos maiores eventos do gênero no Brasil, que acontece em agosto.

Após ter sido eleito "Destaque Literário 2012" pela ACL e de ser apontado pelo Blog Palavra Escrita, do Clic RBS, como um dos 10 livros que merecem ser lidos da Serra Gaúcha, fico feliz com mais essa deferência.

O vazio dos amores contemporâneos continua repercutindo.
                                                                                    Uili Bergamin


Uili Bergamin-Nasci em Bento Gonçalves e ainda criança mudei-me para Cotiporã. Já adulto, estabeleci-me em Caxias do Sul, onde venci inúmeros prêmios literários, nacionais e internacionais. Sou autor de seis livros: "O Sino do Campanário" (contos), "Cela de Papel" (novela), "Do Útero do Mundo" (poesias), "A Ilha Mágica" (juvenil), "Contos de Amores Vãos" (contos) e "Tetraedro" (crônicas) em parceria com mais três autores caxienses. Também escrevo para a Revista Acontece Sul, onde indico bons livros e colaboro para jornais da região.

 
A Prosa Afiada dos "Contos de Amores Vãos"

Por Leandro Angonese - Poeta


Não é surpreendente que “Contos de Amores Vãos” tenha a repercussão que teve. Mais surpreendente teria sido se não tivesse. Este quinto título de Uili Bergamin esmaga com mão de ferro o idealismo tolo, qualquer romantismo ultrapassado que tenha resistido a pós-modernidade.

Em um país como o Brasil, onde ainda se procura leituras doces para amenizar as agruras do cotidiano, esta nova coletânea de contos tem tudo para cair como uma bomba. Ele irrompe no mundo literário com a espada em riste, derramando doses cavalares de estilo, realidade, precisão analítico-psicológica e algumas pitadas de humor. Um misto de volúpia e ira que vai destrinchando as relações contemporâneas, deixando à mostra as úlceras dos amores que poderiam ter sido e não foram.

Uili desafia a tendência “água-com-açúcar” e torna essa literatura totalmente risível depois de seus contos. Sua prosa é afiada e corta. É tão tóxica quanto o despeito que move seus narradores.

Mas a temática que embasa o texto é apenas uma das estocadas do autor. A forma usada por ele para construir este panorama literário é absolutamente assombrosa. Cada um dos vinte contos vem embalado de uma maneira diferente, inovando sempre, criando novos jeitos de narrar, de contar histórias. O domínio de Uili sobre a palavra só é comparável aos dos grandes mestres; ele faz o que quer com ela, anula a pontuação, inverte a sintaxe, cria neologismos. Conhece perfeitamente a regra, só para demoli-la.

Versátil, culto e inteligente, Uili ziguezagueia entre a filosofia, o erudito e o coloquial. E, diante de suas ideias, nos obriga a refletir sobre nós mesmos.
Apenas para exemplificar, já que todo o livro é fantástico, o conto “Ester” é obra de gênio. Eu o incluo entre os melhores já produzidos em nosso estado.
Ao virar a última página desse livro, nos deparamos com o vazio, mas saímos preenchidos de ótima literatura.

0 comentários: