"Nunca a língua portuguesa foi tão bela": obra completa do Padre António Vieira

"Nunca a língua portuguesa foi tão bela": obra completa do Padre António Vieira

A obra completa do padre António Vieira, em 30 volumes, num total de 15 mil páginas, que será publicada durante dois anos a partir deste mês, "é o maior projecto da história editorial portuguesa", disse o historiador José Eduardo Franco. 

 

Em declarações à Lusa, o historiador realçou que, "destas 15 mil páginas, cerca de um quarto são de inéditos ou textos parcialmente inéditos, nomeadamente teatro e poesia, da autoria de Vieira, que até os investigadores desconhecem", realçou Franco. José Eduardo Franco, que coordena a edição com Pedro Calafate, afirmou que o jesuíta, que viveu entre 1608 e 1697, pode ser hoje visto como um "autor anticrise".


"As soluções que ele apresentou para o país, os escritos dele sobre a nossa mentalidade e os nossos políticos [permitem] dizer que ele é um autor, uma figura histórica anticrise", afirmou José Eduardo Franco, que acrescentou que Vieira "é mais do que um autor que ainda hoje nos ensina a bem falar, bem escrever e bem comunicar a língua portuguesa".

Os primeiros três volumes são apresentados na quinta-feira, às 18h00, na Aula Magna da Universidade de Lisboa, e na sexta-feira, às 18h30, na sala 2 da Casa da Música, no Porto.

Entre estes títulos, encontra-se "a obra magna de Vieira, que morreu quando a escrevia, que se intitula 'A Chave dos Profetas', que corresponde a dois volumes", e o terceiro intitula-se "Cartas Diplomáticas", disse Franco. Os trinta volumes, que serão publicados de dois em dois meses, dividem-se em quatro tomos. O primeiro tomo, "Epistografia", é coordenado por Carlos Maduro, diz respeito às cartas e inclui cinco volumes. O segundo tomo, "Parenética", relativo aos sermões e oratória de Vieira, totaliza 15 volumes e é coordenado por João Francisco Marques. O terceiro, "Profética", respeitante às profecias do sacerdote, é coordenado por Pedro Calafate, e constituído por seis volumes. Finalmente, o terceiro tomo, "Varia", coordenado por José Eduardo Franco, integra quatro volumes e, além de "A Chave dos Profetas", integra escritos variados, teatro e poesia, além de "projectos de reforma económica e social que entregou ao Rei". 







Fonte

0 comentários: