TANTAS ANAS E UMA COMPANHIA SACANA [Geraldo Trombin]

TANTAS ANAS E UMA COMPANHIA SACANA

Podia ter os afagos da Ana Carla acalentando as minhas horas insanas; o poderoso canto da Ana Carolina ajoelhado ao pé do meu ouvido; a singeleza da Ana Clara purificando o meu tempo avesso; as magníficas mãos da Ana Cláudia temperando os pratos vazios dos meus dias; o roçar do peito do pé da Ana Cristina na minha canela, provocando o termômetro dos meus desejos.


Podia ter a dedicação do amor quase maternal da Ana Elisa cuidando dos meus dodóis; a sagrada devoção da Ana Emília visitando o templo das minhas crenças e descrenças; a retórica da Ana Fátima contrapondo aos meus questionamentos, dúvidas, incertezas e certezas; a sensualidade da Ana Flávia passeando explosiva diante das minhas retinas arranhadas pelos tropeções das relações; o entusiasmo contagiante da Ana Helena revigorando as minhas tão adormecidas voltas por cima.


Podia ter a delirante viagem ao centro da terra encantada pelas contações da Ana Isabel, subtraindo-me da realidade vil; o sorriso deliciosamente angelical da Ana Julia refletido não só na minha boca, mas, também, no meu coração; a luz divinal da Ana Laura clareando os meus caminhos de pedra, cimento e túneis escuros; os claros e profundos olhos da Ana Lúcia inibindo ainda mais a minha timidez, me tirando do sério e do prumo; a postura equilibrada da Ana Luiza ante os meus instáveis passos na corda bamba dos deslizes.


Podia ter o sabor de chocolate da Ana Maria adoçando o meu paladar ácido; o invejável mergulho cultural da Ana Paula fazendo-me imergir em outras águas; o costurar inteligente das palavras da Ana Regina alinhavando a minha já tão calada fala; o tom professoral da Ana Renata mostrando-me além dos tons de cinza; os versos diversos da Ana Rita injetando mais poesia no meu peito adoecido.


Tantas Anas interessantes, belas, instigantes, mas não! Justamente nessa semana sabe quem eu tive que engolir? AnaDor. Atchim! Que gripe e febre sacanas!




11.06.13 - Jornal O Liberal - Americana - SP
Título original: TANTAS ANAS E UMA COMPANHIA SACANA




Geraldo Trombin, publicitário, é colunista do blog ContemporArtes e colaborador do jornal “O Liberal”, de Americana/SP.Lançou em 1981 “Transparecer a Escuridão”, produção independente de poesias e crônicas, e em 2010 “Só Concursados - diVersos poemas, crônicas e contos premiados”. 
Tem classificações em inúmeros concursos literários realizados em várias partes do país e também em Portugal, além de trabalhos publicados em jornal e diversas antologias.


0 comentários: