Desejos II [Dy Eiterer]

Desejos II

Entre tantos desejos que tenho e que escrevo cuidadosamente em uma lista para não esquecê-los e ter o prazer de relembrá-los depois de satisfeitos está você.

Você compõe uma lista separada, de outros pequenos desejos, de pequenos momentos que juntos farão uma história. Tão bonita e feliz como qualquer outra. Tão cheia de dificuldades e alguns problemas como qualquer outra, mas será diferente e leve porque teremos um ao outro. E esta será a nossa história: única, com brilho, com companheirismo e perpetuada em nossa pele, marcada pelas nossas emoções.

Tenho desejos de acordar na segunda-feira e ter você ao meu lado, primeira visão antes de encarar o despertador. Isso vai me encorajar pelo resto da semana. Vai dar forças pra vencer o engarrafamento, a correria do dia e o almoço fora de hora. Vai ser incentivo para sair da crise do eu-nã-vou-dar-conta e voltar para casa.

Quero sentir o cheiro bom do café invadindo as narinas, enchendo a casa enquanto misturo as minhas especiarias à bebida que vai aquecer nosso dia e embalar nossa conversa e até o nosso silêncio, necessidade urgente de pessoas que já se conhecem e dividem tantas coisas.

Vou ter o trabalho de ler as matérias que me agradam e que poderiam lhe agradar, ou algumas que levantariam um bom debate entre nós antes do jantar. Será ótimo ver como seus olhos brilham diante de conversas interessantes, de debates sadios.

Irei me derreter cada vez que, por cima das lentes de meus óculos, perceber seus olhos pousados sobre mim, que me perdia distraída nas páginas de um livro novo, enrolada em uma manta na rede da varanda. E mais ainda quando ganhar um sorriso que ilumina qualquer escuridão que eu possa viver.

Desejo que nossas vidas que se cruzaram há algum tempo, continuem assim, emboladas, de maneira que saibamos exatamente quem é um e quem é o outro, mas que já não consigamos deixar nossos fios soltos, para não perdermos a nossa meada.

Quero ganhar cada beijo como o prêmio do vencedor, com a certeza de ter sido a escolhida entre tantas outras e saber que a escolha foi recíproca e verdadeira.

Quero contar, incansável, nossas histórias para nossos filhos e netos e amigos, não nos colocando como exemplos, mas como caminhantes e desafiadores da corda bamba que é a vida, rindo dos nossos medos e equilibrando-me com nossas certezas.

Quero olhar pela nossa janela e nos enxergar no futuro, olhando para trás e agradecendo pelo dia em que nos encontramos nessa vida. Quero ter a certeza de ser feliz porque sei que há muitos amores na vida, mas que só há um amor para a vida toda e que ele chegou diante de meus olhos em uma estação qualquer, num dia comum, mas com a pessoa certa.

Desejo que venha ser parte de minha memória, minha história, minhas melhores lembranças e motivo de meus sorrisos.

Desejo que não seja um capítulo de meus livros, um personagem de minhas linhas ou um herói inatingível, mas o amor tangível, real e sentido todos os dias enquanto houver ar em meus pulmões, sangue em minhas veias e brilho nos meus olhos.


Dy Eiterer. Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. Edylane é Edylane desde 20 de novembro de 1984. Não ia ter esse nome, mas sua mãe, na última hora, escreveu desse jeito, com "y", e disse que assim seria. Foi feito. Essa mocinha que ama História, música e poesia hoje tem um príncipe só seu, seu filho Heitor. Ela canta o dia todo, gosta de dançar - dança do ventre - e escreve pra aliviar a alma. Ama a vida e não gosta de nada morno, porque a vida deve ser intensa. Site:Dy Vagando

0 comentários: