A Barganha dos 4 Dentes de Leite [Santiago Santos]


A Barganha dos 4 Dentes de Leite 

por Santiago Santos 

Caetano era um menino curioso.
Quando tinha seis anos e seu primeiro dente caiu, a mãe disse que era só colocá-lo embaixo do travesseiro. À noite a fada do dente viria e o trocaria por uma nota de 10 reais. Caetano ficou contente, porque com 10 reais comprava três gibis da Turma da Mônica e dois chicletes. Mas não colocou embaixo do travesseiro. Um ano depois, quando juntara quatro dentes numa gaveta, sua mãe perguntou por que ele não os trocava. Ele disse que queria juntar o bastante para pedir que a fada do dente trouxesse seu pai de volta.

O pai de Caetano deixou a família quando o menino tinha apenas três anos. Doeu, mas fez o que achava certo. Voltou a se casar, embora não esquecesse a primeira esposa e o filho. Tinha medo que o menino não soubesse quem ele era, e mesmo assim não os visitava, pois sabia que podia fraquejar, e homem direito não voltava atrás nesse tipo de coisa. Certa noite, depois de saber que a segunda esposa estava grávida e teria um novo filho, ele disse que ia ao mercado e parou o carro a duas quadras de casa. Pegou o celular e ligou pra mãe de Caetano. Ela chorou, se desculpou, disse que ainda o amava e queria que ele voltasse.

A mãe de Caetano não pensou no que aconteceria quando finalmente cedeu aos apelos de seu colega de trabalho. Ele era bonito e simpático. E insistente. E numa longa noite de hora extra, quando apenas os dois ficaram no escritório de advocacia até tarde, ela não resistiu. Mas era incapaz de mentir. Confessou ao marido. Ele saiu de casa. Ela nunca contou a Caetano o que acontecera, e achava injusto que o menino acreditasse que o pai simplesmente fugira, que não o amava. Mas de alguma forma a verdade parecia ainda pior. Na noite em que o ex-marido ligou, ela não se controlou. Implorou por perdão, pediu que voltasse e esquecesse tudo, disse que se arrependia, que nunca deixara de amá-lo.

Quando ouviu a mãe falando no celular, Caetano sabia que ela conversava com o seu pai. Ficou quieto, ansioso, tentando entender o que estava acontecendo. Não sabia por que ela se desculpava, mas viu que pedia que ele voltasse para casa. Ficou alegre, achando que aquilo pudesse mesmo acontecer. Quando ela desligou, Caetano surpreendeu-a, perguntando se o pai voltaria. Ela disse que não e começou a chorar. Ele buscou os dentes de leite no quarto e mostrou-os. Estava esperançoso. Perguntou à mãe se a fada do dente ajudaria o pai a achar o caminho de volta para casa por apenas quatro deles, ou se ainda precisava juntar mais.

*retirado do projeto Flash Fiction BR - www.facebook.com/flashfictionbr

Santiago Santos é escritor e jornalista. Já publicou contos em revistas independentes e blogs. Atualmente mantém o projeto Flash Fiction BR, onde publica um miniconto inédito todo dia útil (www.facebook.com/flashfictionbr).

0 comentários: