Disparity: quando o seu prato se torna paisagem [Rejane Borges]

alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.

Disparity: quando o seu prato se torna paisagem

publicado em artes e ideias 
A arte que brota da imaginação e do saudosismo do artista Christopher Boffoli, de Seattle, EUA, celebra sua fascinação pelas formas, tamanhos, cores e texturas ao nosso redor. Assim criou o universo lúdico “Disparity”.

Quando eu era criança, minha avó materna sempre cantarolava uma música para me fazer dormir. Não lembro o nome, nem sei de onde a canção surgiu, mas nunca a ouvi em nenhum outro lugar, nem de nenhuma outra voz que não da minha querida avó. A música contava um sonho, no qual toda a cidade era feita de quitutes deliciosos. Uma cidade onde as ruas eram pão-de-ló, as calçadas de rapadura e as casas e muros de queijada. O chocolate andava pela praça, a catedral era de goiabada, com um sino de marmelada. O chafariz da cidade vertia mel e champanhe, canteiros eram bombons, pastéis e empadas. Chovia cajuada, groselha e capilé e em lama de geléia escorregava o pé.

Foi este momento cantarolado de minha infância que recordei quando vi “Disparity”, do fotógrafo Christopher Boffoli. Uma série curiosa e divertida, de pequenas pessoas num universo fantástico de comida.

Boffoli, além de fotógrafo, é jornalista gastronômico. Ele conta que sempre teve particular interesse por comida, não só pela variedade, mas também pela beleza dos alimentos, suas cores e texturas – estética claramente valorizada por um close up com lente macro. Então se inspirou a fazer uma série de fotografias que celebra essa visão artística da comida. Porém, “Disparity” vai além.

alimentos, boffoli, comida, fotografia

© Christopher Boffoli.



alimentos, boffoli, comida, fotografia

© Christopher Boffoli.



Desde pequeno, Boffoli nutria particular fascinação por tamanhos e formas, o que o levou a imaginar um mundo de pequenas pessoas com enormes objetos ao redor delas, como aqueles que só víamos quando crianças, em desenhos e programas de TV. O artista combinou suas fascinações numa única série, inspirada nos brinquedos e nas comidas que rondaram seus dias de menino.

Como toda boa arte, a série também intriga. Boffoli afirma que sua intenção é não somente mostrar ao observador algo incomum que o surpreenda, mas também algo que o faça refletir. “Disparity” promove, indiretamente, a conscientização acerca de um super consumismo americano e a relação disfuncional que tal sociedade tem com a comida. Boffoli salienta que, apesar dos milhares de livros de receitas que são lançados todos os anos, o americano cada vez menos come em casa ou se preocupa em cozinhar de uma maneira saudável. Esse cotidiano frenético, no qual impera a comida fast food, é incoerente com a diversidade gastronômica que a sociedade americana tem ao seu alcance. “As pessoas se contentam em serem expectadoras da comida e não em apreciá-la”, afirma.

“Disparity” é mais do que uma série de fotografias, é um admirável trabalho que combina a fantasia com a crítica social. 




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




alimentos, boffoli, comida, fotografia
© Christopher Boffoli.




Fonte:




Rejane Borges gosta das cores de folhas secas ao chão. E das cores das folhas velhas dos livros.

0 comentários: