Experts [Jean Marcel]


Experts

Boteco. Justamente por ser um reduto absolutamente masculino, as mulheres sempre estão presentes, mesmo que seja apenas como assunto das conversas. O futebol e a política têm a sua vez, claro, mas as mulheres são, sem dúvida, o tema predileto das rodinhas de boteco. E no boteco do Tonho não era diferente. Assim sendo, como exímios conhecedores e dedicados apreciadores, travavam acaloradas discussões que atravessavam noites inteiras, ocasião em que defendiam gostos, enalteciam preferências e trocavam impressões pretensamente abalizadas sobre o tema.

– As morenas de 1982 têm uma combinação equilibrada. Agrestes e delicadas ao mesmo tempo. – afirma o Jonja, com a autoridade reforçada pelos seus cabelos brancos.

– Discordo! – protesta o Afonso – Acho que ainda não estão prontas... 

Carecem de personalidade. Talvez daqui a uns dois anos... 

– Se for para falar de morenas, prefiro as de 1978. Um bom ano! – pondera o Tigrão. Este com os cabelos levemente grisalhos.

– Um bom ano inclusive para as ruivas! Tens visto alguma ruiva de 78?

– Ruivas são mais difíceis de encontrar. Principalmente de 78.

– Esplendorosas. Gran reserva! Têm presença! 77 foi a revelação, 78 a confirmação!

– É verdade, um ano excepcional! – suspirando.

– Sem dúvida! – todos concordam, balançando as cabeças.

– E as loiras de 71, então? Uma safra surpreendente, sem exageros... 

– Chegaram ao estado adulto. Amadureceram... Tornaram-se vigorosas. Estão no seu melhor ponto, ganharam em elegância e consistência o que perderam em frescor.

– Prefiro algo mais encorpado, robusto! – defende.

– Tipo?

– As mulatas de 1981.

– Todos suspiraram...

– Imbatíveis! – prosseguiu – Adoro o bouquet das mulatas de 81! – inspirando fundo – Quer ver as cariocas! 

– Uhmmm! Cariocas, baianas, gaúchas... O terroir influencia muito!

– As cariocas de 81 têm personalidade marcante. Sensuais, lascivas, voluptuosas... 

– No dia seguinte ainda se nota sua presença!

– É o retrogosto!

– Isso... Nesse caso faz a gente querer mais!

– E as paulistas?

– Pois é, ninguém valorizava muito, diziam serem insípidas, até que um “crítico” elogiou a “deselegância discreta daquelas meninas”...

– Concordo! O primeiro impacto deixa reservas, mas depois se liberta o temperamento mais sofisticado que as caracteriza!

– De fato... Melhoram com o tempo!

– E 1987? Ouvi falar bem de 87, pujantes, frutadíssimas,... jovens! Já estou de olho!

– 87 não, cara! Deixa 87 de fora!

– Mas esse ano promete! 

– Não, não... 87 não! – insiste.

– Mas não vejo a hora...

– Pô, cara – constrangido – minha filha é de 87!

Jean Marcel- Escritor, professor universitário, palestrante. É pai de dois adolescentes. Um leitor voraz. Eclético, escreve contos, crônicas, romances e infanto-juvenil. Possui o blog brisaliteraria.com

0 comentários: