Palavras e composições [Patrícia Dantas]


Palavras e composições

Dizem que causo um efeito devastador sobre as palavras; que, quando as tenho em minhas mãos, o que era apenas o verbo, o adjetivo, o sujeito e seus predicados, titubeiam a ponto de não mais se compor a leveza dos românticos de outrora; outros, até murmuram que as tenho encanto. Mas, diria que por elas, sinto o mais puro castigo em possuir minha alma escrava de suas conjunções e ser usada constantemente pelas suas transições e suas teias complementares de equívocos.

Desses redemoinhos que assustam ao olhar mais desatento, falta-lhes a composição exata, a que passeia pelos ouvidos e delineia o caminho transgressor dos sublimes ideais que fizeram a vida de grandes homens, mas que também os amotinaram trancafiados, imersos em seus textos revolucionários.
Mas também dizem muitas coisas obsoletas por ai. É contrastante esse universo paralelo em que me envolvo, ainda que seja, incontestavelmente, verdadeiro.

Mas digo e reafirmo obstinadamente que minha absurda incompreensão perante o mundo me levou ao reino dos textos inventados e frases sem nexo. O mundo de que falo é o fantasmagórico anônimo sem palavras, da coisa não dita, ou dita, por si só vazia de explicações, que não sabe mais inventar o que os grandes sábios consideravam o inventável improvisado: esse tal de universo complexo, formado da última lâmina cortante das composições.

As palavras sustentam-me, ao passo de se transformarem no abrigo para as tamanhas faces recortadas que existem em mim. Não só de cortes e cruzamentos é feita essa divina máscara escondida, mas do submundo inesgotável, criado a partir do inequívoco reboliço de todos os dias.

Por ora, o leve toque do vento que atiça o folhear vaidoso das árvores, o simples olhar palpável do animal melancólico e outras coisas que eu não saberia descrevê-las com tamanha intensidade, constroem o recanto sublime de palavras entorpecidas, vulgares, diletantes. Mas não só! Rogo pelo barulho sustenido das rimas, dos versos, da poesia boêmia das utópicas madrugadas dos poetas embriagados.

*Imagem:http://ceciliameireles2009.blogspot.com.br/



Patrícia Dantas - Amante da arte de escrever e descobrir nas histórias a construção das palavras.
Possuo, desde 2010, uma página atualizada no Recanto das Letras: http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=68582
Participei da Focus - Antologia Poética VII, pela Cogito Editora:
Vem ai a ANTOLOGIA MUNDO, da Cogito Editora! Vou participar!!
Um brinde ao encanto das palavras!

0 comentários: