Resenha – Querido John – Nicholas Sparks [Carlos M. Monteiro]


Resenha – Querido John – Nicholas Sparks

Escrito por: Carlos Monteiro

Sinopse do Livro

Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.

QUERIDO JOHN
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Páginas: 275

Resenha

“Aprendi que amar não significa estar junto, mas sim querer ver a pessoa feliz , mesmo que isso custe a sua felicidade”.

Seriamente!?

Eu já ouvi falar e muito do escritor – Nicholas Sparks!

E nem quero aqui, salientar seus números gastronômicos de vendas. Seus livros vendem muito bem, inclusive em boa parte do mundo. Também não vou – me ater em resumir a obra escolhida ( Querido John). Comentar sobre as características dos personagens principais, neste momento, seria banalidade minha, pois muitas pessoas conhecem o autor e a obra referida. Ainda mais, os românticos de plantão.

Prefiro carregar meu texto com a minha experiência ao ler – Querido John.
Savannah e John caíram no meu gosto de casal apaixonado. Consegui – me envolver na sintonia do amor dos dois… Mesmo depois, sabendo que ela desiste de John.

Me recordo que a cada capítulo eu me entregava ao livro, queria saber mais, precisava penetrar meu rosto, com as marcas do possível amor dos personagens. Uma coisa pode-se afirmar, Nicholas Sparks, és fantástico no quesito de criar um clima, uma história, um enredo que prende nosso silêncio. O realismo de sua narrativa valoriza o preenchimento da nossa mente. Mais do que isso, a reflexão maior, não estás no amor e a sua espera, e sim, na experiência que John tem com o seu pai. Até o seu final, esmorecemos com essa relação de Pai e Filho.

Garanto que quem for ler, vai se surpreender com o seu fim, “surpreendente”!
Foi a minha primeira vez que li algo deste autor. E posso realçar que sai da mesma, realizado. Todo o tempo que gastei lendo, foi como uma música perfeita para meus olhos, derramei lágrimas na incredulidade do ato de amar!
Recomendadíssimo.



Carlos M. Monteiro-Um dia poetizei minha insanidade sentimental. Estranhei o fato de me olhar no espelho e, encontrar um silêncio. Eu tive uma formação na alma, totalmente regada aos princípios da sobrevivência.
Mas esta estadia seria apenas um presságio do que estava por vir... O imaginário do meu coração ganhava tanta força, que não tive mais controle. Fui vencido e da derrota, regozijei das entranhas do meu pensamento, entrei em contato com o belo e o inútil. Eu gritava de uma forma diferente, tudo que nascia de mim, era abominavelmente esplêndido. Finalmente, eu reconheci as palavras. Hoje, admito! Escrevo para não morrer.

Blog: Regozido do Amor Email: antologiadevir@gmail.com

0 comentários: