Romance entre duas mulheres será filme de abertura do Festival de Gramado [Revista Biografia]

Romance entre duas mulheres será filme de abertura do Festival de Gramado


Por  Sul 21

O filme Flores Raras, do consagrado diretor Bruno Barreto, será o longa de abertura do  41º Festival de Cinema de Gramado. Estrelado por Glória Pires, narra uma história de amor entre duas mulheres baseado em acontecimentos reais. Ambientado no Brasil dos anos 1950, a trama trata do romance entre a poetisa norte-americana Elizabeth Bishop (interpretada pela atriz australiana Miranda Otto) e a arquiteta carioca Lota Macedo Soares.

A estreia no Brasil está marcada para o dia 16 de agosto, uma semana depois do festival. Apesar de se passar no Rio de Janeiro, o longa é quase todo falado em inglês. É o 19º filme do diretor, conhecido por obras como Gabriela, Cravo e Canela (1982), O que é isso, companheiro? (1997, que concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro) e Última Parada 174 (2008).

A atriz Glória Pires, protagonista do filme, receberá o Troféu Oscarito, destinado a grandes atores do cinema brasileiro. O evento acontece de 9 a 17 de agosto na cidade da serra gaúcha, quando serão exibidos oito filmes nacionais e seis estrangeiros.

Durante o festival, serão entregues ainda o Troféu Eduardo Abelin ao Canal Brasil e o ator Othon Bastos receberá o Kikito de Cristal. Já o troféu Cidade de Gramado apresenta duas homenagens: para o ator Wagner Moura e para o filme “Sargento Getúlio”, que, em 2013, completa 30 anos desde que foi consagrado no evento com cinco kikitos, entre eles melhor filme e ator para Lima Duarte.

Confira a lista de filmes que serão exibidos no festival:

Longa-metragens brasileiros:

- “A Bruta Flor do Querer”, de Andradina Azevedo e Dida Andrade
- “A Coleção Invisível”, de Bernard Attal
- “Até Que a Sbórnia nos Separe”, de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr.
- “Éden”, de Bruno Safadi
- “Os Amigos”, de Lina Chamie
- “Primeiro Dia de Um Ano Qualquer”, de Domingos Oliveira
- “Revelando Sebastião Salgado”, de Betse de Paula
- “Tatuagem”, de Hilton Lacerda

Longa-metragens estrangeiros:

- “A Oeste do Fim do Mundo”, de Paulo Nascimento – Brasil/Argentina
- “Cazando Luciérnagas”, de Roberto Flores Prieto – Colômbia
- “El Padre de Gardel”, de Ricardo Casas – Uruguai
- “Puerta de Hierro: El Exilio de Perón” – Argentina
- “Repare Bem”, de Maria de Medeiros – Portugal
- “Venimos de Muy Lejos”, de Ricardo Piterbarg – Argentina

Curta-metragens brasileiros:

- “A Navalha do Avô”, de Pedro Jorge
- “A Voz do Poço”, de Patrícia Black
- “Acalanto”, de Arturo Saboia
- “Arapuca”, de Hélio Villela Nunes
- “Arremate”, de Rodrigo Luna
- “Carregadores de Monte Serrat”, de Cassio Santos e Julio Lucena
- “Colostro”, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet
- “Faroeste: Um Autêntico Wester”, de Wesley Rodrigues
- “Merda!”, de Gilberto Scarpa
- “O Matador de Bagé”, de Felipe Iesbick
- “Os Filmes Estão Vivos”, de Fabiano de Souza e Milton do Prado
- “Os Irmãos Mai”, de Thais Fujinaga
- “Pouco Mais de Um Mês”, de André de Novais Oliveira
- “Sanã”, de Marcos Pimentel
- “Simulacrum Praecipiti”, de Humberto Bassanelli
- “Tomou Café e Esperou”, de Emiliano Cunha

Curta-metragens gaúchos:

- “Armada”, de Filipe Ferreira
- “As Memórias do Vovô”, de Cíntia Langie
- “Catalogárgula”, de Lucas Neris e Luan Salce
- “Codinome Beija-Flor”, de Higor Rodrigues
- “Contrato de Amor”, de Camilo Rodriguez, Leonor Jiménez e Thais Fernandes
- “Ed”, de Gabriel Garcia
- “Entrevista”, de Gabriel Horn
- “Férias”, de Iuli Gerbase
- “Kassandra”, de Ulisses da Motta Costa
- “L’anime”, de Diego Urrutia
- “Logo Ali ao Sul”, de Marcio Kinzeski
- “Notícias Tuas”, de Vicente Moreno
- “O Matador de Bagé”, de Felipe Iesbick
- “Os Desconhecidos”, de Eduardo Teixeira
- “Os Filmes Estão Vivos”, de Fabiano de Souza e Milton do Prado
- “Roda Gigante”, de Julia Barth
- “Somos Todos Ilhas”, de Pedro Martins Karam
- “Tomou Café e Esperou”, de Emiliano Cunha

Com informações do iG e do Correio do Povo


Revista Biografia

0 comentários: