Minha namorada perfeita [Juliano Rodrigues]


Minha namorada perfeita


   “Pois o amor é forte como a morte

        paixão cruel como um sepulcro

         E as muitas águas não podem

                 afogar este amor”

                        Cantares 4:6-7 

Sempre desejei uma namorada parceira, amiga para todas as horas, do tipo que sabe fazer um cafuné, e também sabe manter um bom assunto, eis que a encontrei. Linda, carinhosa, atenciosa, de fala mansa e sorriso hábil. Ela nunca me deixa só, é companheira. Não briga comigo por ciúmes, é compreensiva. Não me da bolo, é fiel. Não fica implicando com a sogra, é reverente. Deixa eu assistir ao meu futebol sem pestanejar, é parceira. Sim, é a namorada perfeita, só que não.

Namorar é uma palavra tão simples, e tão rica, significa “em amor”, como é bom estar amando. Este amor que traz sonhos, expectativas, vontade de estar junto, de não desgrudar do ser amado. Este amor do tipo que nos transforma, mas sem pressão. Nos aproxima só pelo desejo de estar junto. É este amor que estou vivendo.

Um bom namoro tem a questão da cumplicidade, aquele feeling gostoso de um estar sentindo o que o outro sente. A preocupação com o sentimento alheio. Vivemos intensamente este desejo de nos tornar um com o ser amado. A minha amada não falha nisso, agimos em sincronia. Quando eu estou triste ela vem me consolar, se necessário for, desce até a fossa comigo, me olha nos olhos e me abraça forte. Assim como, me acompanha nos momentos de alegria, caminha dançando comigo por entre as ruas, sorridente. No meu colo fica feliz a cantar, sereia bonita, a meus sonhos embalar.

Como é bom estar amando, sair da desgraça do cotidiano, poder gerar fantasias e devaneios a luz do luar, aquela lua nova sabe, do tipo que nos convida a sentarmos de mãos dadas como bons amantes, e após nos abraçarmos e balanço, no suave e doce balanço do amor.

Quando estamos enamorados, tudo se transforma, os detalhes mais simples do dia a dia ganham um novo tom, uma nova cor. Estes dias refletia sobre o sol, e declarei “ele ta andando de balanço, a brincar por entre as nuvens“. Num dia nublado, ao invés de reclamar, estava eu falando da brincadeira de pique-esconde de meu amigo que vem a nos iluminar. Sei que fui redundante com o parágrafo acima, mas a redundância também é parte do namoro, como aquele beijo que vem e retorna, muitas vezes similar, mas sempre único, e que podemos passar incontáveis horas dedicados a ele.

O amigo Quintana certa vez disse: “Amar é mudar a alma de casa“, mesmo a distância física não atrapalha os amantes, pois sua alma se entrelaça, faz morada no coração alheio, traz consigo todo o seu afeto, carinho e gratidão. Traz consigo o sublime olhar de paixão. De olhos que mudam de cor, de acordo com a luz que está no amor.

Já devem estar curiosos
a cabeça pensar
sobre quem
estou a falar
eis que irei
logo lhe apresentar
sem mais delongas
irei declarar
quem eu estou a amar
minha linda namorada
que eu estou a olhar
a quem irei
me dedicar e cuidar
aquela que
não canso admirar
Minha namorada perfeita

é a poesia.


Juliano é poeta em tempo integral. Professor, psicopedagogo e escritor nas horas vagas. Ama as coisas simples desta vida, a paisagem, as flores, uma rede e um bom livro. Acredita que a Palavra é uma fonte de vida e libertação, se inspira e agradece ao Criador por ela

0 comentários: