Saiba como funciona e quem já ganhou o Prêmio Nobel de Literatura [Revista Biografia]


Saiba como funciona e quem já ganhou o Prêmio Nobel de Literatura

Desde 1901, todos os anos, há a entrega do Prêmio Nobel de Literatura pela Academia Sueca, que significa um dos maiores reconhecimentos do trabalho literário de um escritor, seja na prosa ou na poesia.

Sobre este prêmio, algumas curiosidades: nunca um brasileiro venceu, somente um escritor de língua portuguesa foi premiado (José Saramago em 1998).

Também convém destacar que o Prêmio Nobel já prestigiou 108 escritores, sendo deste contingente, 78 da Europa.

A América Latina só foi contemplada seis vezes: com os chilenos Gabriela Mistral (1945) e Pablo Neruda (1971), com o guatemalteco Miguel Ángel Astúrias (1967), com o colombiano Gabriel García Márquez (1982), com o mexicano Octavio Paz (1990) e em 2010, com o peruano Mario Vargas Llosa.
Por fim, vale registrar que as mulheres receberam tão somente 10% dos prêmios.

Um pouco de história do prêmio e como o mesmo é concedido: 

“O Prêmio Nobel foi criado pelo químico e inventor sueco Alfred Nobel (que concebeu, entre 355 invenções patenteadas, a dinamite) por meio de testamento lavrado em 1895, um ano antes de sua morte, para ser anualmente atribuído nas categorias Literatura, Física, Química, Medicina e contribuição para a paz mundial.

A partir de 1968, por iniciativa do Banco Central da Suécia, foi criado o Prêmio de Ciências Econômicas, que, embora não esteja vinculado à Fundação Nobel, é considerado o Nobel de Economia. Anunciados sempre no início de outubro, os prêmios são entregues no dia 10 de dezembro, data da morte de seu criador. Nos termos do testamento de Alfred Nobel, o prêmio de Literatura, certamente o que causa sempre maior polêmica todos os anos, é organizado por um comitê da Academia Sueca eleito entre os dezoito titulares vitalícios da Casa para um mandato de três anos.

As indicações para o prêmio são feitas à Academia por pessoas, entre elas os laureados, e entidades, de todo o mundo, qualificadas pelo comitê do Nobel. Em setembro a Academia analisa os nomes indicados e no início de outubro, em votação secreta, escolhe o vencedor.)”. (http://www.globaleditora.com.br/catalogo-geral/literatura-brasileira/?colecao=156&LivroID=3176)

Sobre o prêmio em 2013, segundo o site Terra:

“A Academia Sueca informou que um total de 195 escritores, dos quais 48 nunca foram indicados anteriormente, formam a lista dos candidatos ao prêmio Nobel de Literatura em 2013.

O número de candidatos é menor do que no ano passado, quando 210 escritores concorreram ao prêmio. O chinês Mo Yann foi o ganhador por unir em sua obra o conto, a história e o contemporâneo. O secretário permanente da Academia Sueca, Peter Englund, explicou que este ano aumentaram os convites enviados para universidades africanas para participarem do processo de indicação, assim como foi feito no ano passado com instituições acadêmicas dos Estados Unidos. O Comitê do Nobel de Literatura envia todos os anos entre 600 e 700 cartas no mês de setembro a pessoas e instituições qualificadas para propor candidatos ao prêmio. Entre os que podem indicar nomes estão os membros da Academia Sueca e de outras organizações similares, professores universitários de literatura e linguística, ganhadores do prêmio e presidentes das sociedades de autores representativas em seus países.

O Comitê tem agora dois meses para reduzir o número de candidatos à metade que, após outras etapas de seleção, serão reduzidos aos cinco finalistas. O ganhador costuma ser anunciado, assim como os demais prêmios, no início de outubro”. (http://noticias.terra.com.br/mundo/nobel-de-literatura-conta-com-195-candidatos-ao-premio-em-2013,1425d298f041d310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html)

Abaixo segue a lista de todos os vencedores: 

“2012
Mo Yan (China)
2011
Tomas Tranströmer (Suécia)
2010
Mario Vargas Llosa (Peru)
2009
Herta Müller (Romênia-Alemanha)
2008
Le Clézio (França)
2007
Doris Lessing (Reino Unido, mas nasceu no Irã e cresceu no Zimbábue)
2006
Orhan Pamuk (Turquia)
2005
Harold Pinter (Reino Unido)
2004
Elfriede Jelinek (nasceu na Áustria)
2003
J.M. Coetzee (África do Sul)
2002
Imre Kertész (Hungria)
2001
V.S. Naipaul (nasceu em Trinidad e Tobago, mas vive no Reino Unido)
2000
Gao Xingjian (Francês)
1999
Günter Grass (Alemanha)
1998
José Saramago (Portugal)
1997
Dario Fo (Itália)
1996
Wislawa Szymborska (Polônia)
1995
Seamus Heaney (Irlanda)
1994
Kenzaburo Oe (Japão)
1993
Toni Morrison (Estados Unidos)
1992
Derek Walcott (Santa Lúcia, ilha do Caribe)
1991
Nadine Gordimer (África do Sul)
1990
Octavio Paz (México)
1989
Camilo Jose Cela (Espanha)
1988
Naguib Mahfouz (Egito)
1987
Joseph Brodsky (EUA, de origem russa)
1986
Wole Soyinka (Nigéria)
1985
Claude Simon (França)
1984
Jaroslav Seifert (Tchecoslováquia)
1983
William Golding (Reino Unido)
1982
Gabriel García Márquez (Colômbia)
1981
Elias Canetti (Reino Unido, de origem búlgara)
1980
Czeslaw Milosz (Polônia)
1979
Odysseus Elytis (Grécia)
1978
Isaac Bashevis Singer (EUA, de origem polonesa)
1977
Vicente Aleixandre (Espanha)
1976
Saul Bellow (EUA)
1975
Eugenio Montale (Itália)
1974
Eyvind Johnson (Suécia) e Harry Martinson (Suécia)
1973
Patrick White (Austrália)
1972
Heinrich Böll Alemanha)
1971
Pablo Neruda (Chile)
1970
Alexander Soljenítsin (URSS)
1969
Samuel Beckett (Irlanda)
1968
Yasunari Kawabata (Japão)
1967
Miguel Ángel Asturias (Guatemala)
1966
Samuel José Agnon (Israel) e Nelly Sachs (Alemanha)
1965
Mikhail Sholokhov (URSS)
1964
Jean-Paul Sartre (França; recusou o prêmio)
1963
Giórgos Seféris (Grécia)
1962
John Steinbeck (EUA)
1961
Ivo Andric (Iugoslávia)
1960
Saint-John Perse (França)
1959
Salvatore Quasimodo (Itália)
1958
Boris Pasternak (URSS; renunciou ao prêmio)
1957
Albert Camus (França)
1956
Juan Ramón Jiménez (Espanha)
1955
Halldór Kiljan Laxness (Islândia)
1954
Ernest Miller Hemingway (Estados Unidos)
1953
Winston Churchill (Reino Unido)
1952
François Mauriac (França)
1951
Par Lagerkvist (Suécia)
1950
Bertrand Russell (Reino Unido)
1949
William Faulkner (Estados Unidos)
1948
T. S. Elliot (Reino Unido, nascido nos EUA)
1947
André Gide (França)
1946
Hermann Hesse (Alemanha)
1945
Gabriela Mistral (Chile)
1944
Johannes V. Jensen (Dinamarca)
1943
Não foi outorgado
1942
Não foi outorgado
1941
Não foi outorgado
1940
Não foi outorgado
1939
Frans Eemil Sillanpää (Finlândia)
1938
Pearl Buck (EUA)
1937
Roger Martin du Gard (França)
1936
Eugene O’Neill (EUA)
1935
Não foi outorgado
1934
Luigi Pirandello (Itália)
1933
Ivan Bunin (Rússia)
1932
John Galsworthy (Reino Unido)
1931
Erik Axel Karlfeldt (Suécia)
1930
Sinclair Lewis (Estados Unidos)
1929
Thomas Mann (Alemanha)
1928
Sigrid Undset (Noruega)
1927
Henri Bergson (França)
1926
Grazia Deledda (Itália)
1925
George Bernard Shaw (Irlanda)
1924
Wladyslaw Reymont (Polônia)
1923
W.B. Yeats (Irlanda)
1922
Jacinto Benavente (Espanha)
1921
Anatole France (França)
1920
Knut Hamsun (Noruega)
1919
Carl Spitteler (Suíça)
1918
Não foi outorgado
1917
Karl Gjellerup e Henrik Pontoppidan (ambos da Dinamarca)
1916
Verner von Heidenstam (Suécia)
1915
Romain Rolland (França)
1914
Não foi outorgado
1913
R. Tagore (Índia)
1912
Gerhart Hauptmann (Alemanha)
1911
M. Maeterlinck (Bélgica)
1910
Paul Heyse (Alemanha)
1909
Selma Lagerlöf (Suécia)
1908
Rudolf Eucken (Alemanha)
1907
Rudyard Kipling (Reino Unido, mas nasceu na Índia)
1906
Giosuè Carducci (Itália)
1905
Henryk Sienkiewicz (Polônia)
1904
Frédéric Mistral (França) e José Echegaray (Espanha)
1903
Bjornstjerne Bjornson (Noruega)
1902
Theodor Mommsen (Alemanha)
1901

0 comentários: