Viúvo faz música para amada e vira hit no iTunes [Revista Biografia]


Viúvo faz música para amada e vira hit no iTunes

Carta de amor escrita por idoso se transforma em canção e faz sucesso na internet

Muitos artistas tem o sonho de entrar na lista dos dez hits mais vendidos da loja americana do iTunes. Mas foi com simplicidade que um idoso de 96 anos conseguiu emplacar sua música no seleto grupo, com seis mil downloads, segundo a Revista Billboard, chegando a ficar em sétimo lugar na loja. A música também está sendo vendida na Áustria, Suíça, Alemanha. Suécia, Noruega e Luxemburgo.

A canção se chama "Oh Sweet Lorraine". Fred Stobaugh, da cidade de Peoria, Illinois, escreveu a música para a mulher, que morreu aos 91 anos em abril deste ano. O casamento dos dois durou 72 anos.

De acordo com o site do jornal Daily Mail, a história do viral começou quando o estúdio Green Shoe promoveu um concurso online para encontrar novos talentos. Fred despertou a atenção dos produtores, já que, em meio ao universo digital, enviou uma carta contando sua história. O aposentado foi bem sincero e acrescentou: "não sei cantar".

A carta de Fred mexeu com os empresários, que decidiram que a música não participaria do concurso por não se encaixar nos critérios. Mas ela deveria ser gravada por profissionais, em homenagem ao compositor. A canção, na verdade, é uma carta de amor de um marido que sente falta de sua melhor amiga e do amor de sua vida, que acabou se transformando em música.



Confira a letra e o vídeo de Fred, ouvindo pela primeira vez a gravação da música que escreveu. O vídeo teve mais de 2 milhões de visualizações:



A música está no top 10 de músicas mais baixadas no iTunes, se você amou o seu Fred, pode baixar também!

"Doce Lorraine, eu queria que pudéssemos voltar aos bons momentos de novo / Doce Lorraine, a vida acontece apenas uma vez", diz a letra, em tradução livre.
— Depois que ela morreu, eu estava sentado na sala sozinho uma noite (...) Quando vi, já estava cantando. Parece que a letra se encaixa com ela —, diz Fred


0 comentários: