As dificuldades dos escritores de interior [Suely Braga]

As dificuldades dos escritores de interior

por Suely Braga 

A grande maioria dos escritores encontra dificuldades para a publicação de seus livros. A primeira é financeira. As editoras têm um alto custo, muitas vezes, fora do alcance das possibilidades econômicas do escritor. Torna-se difícil conseguir patrocínio. Outra dificuldade é a venda dos livros.

Os escritores do interior do Estado, afastados dos grandes centros, se deparam com barreiras intransponíveis. Como são na maioria desconhecidos, ficam com seus livros abarrotando caixas nas próprias casas. Não encontram mercado para os colocarem. As editoras não assumem o compromisso de vendê-los.

As livrarias locais dificilmente aceitam colocar livros dos escritores das cidades e quando colocam escolhem um lugar onde o leitor não consegue vê-los. Claro que os livros dos grandes escritores que já tem os nomes conhecidos ficam expostos na frente, em lugares bem visíveis, porque são os mais procurados.
Até os colegas escritores não compram livros de seus pares.

Quais as opções que restam aos escritores do interior para divulgarem seus livros?

Os escritores do interior usam as Feiras de Livros das suas cidades e Feiras de cidades dos arredores, para que seu material literário não fique engavetado e totalmente desconhecido. Participam de Coletâneas, Concursos Literários e escrevem em sites na internet como Recanto das Letras, Artistas Gaúchos e outros. Escrevem em jornais, revistas, etc.

Atualmente a produção literária é muito vasta, principalmente de escritores jovens que tentam se firmar no mercado.

Embora saibamos que o brasileiro lê muito pouco, ou não lê, os escritores estão surgindo.

Cabe às famílias e às escolas incentivarem a leitura, para que as crianças, desde muito cedo, desenvolvam o gosto pela leitura e o hábito de ler. As autoridades governamentais precisam criar e abastecer bibliotecas nas redes escolares. Não adianta os governos empregarem somas de dinheiros em computadores, sem que as escolas tenham professores de informática.  As salas ficam abarrotadas de computadores, fechadas sem utilidade. Outro problema para as escolas do interior é a falta de sinal para a internet. Isto está nos noticiários diários com reclamações de pais e alunos.

Observo que a Biblioteca Pública Municipal de minha cidade que possui um vasto e rico acervo, realiza muitas atividades de incentivo à leitura tanto para adultos como para alunos das escolas: exposições de escritores, palestras, chás literários, hora do conto, maratonas literárias, saraus, rodas de poesias. Cada mês um escritor da cidade expõe os trabalhos literários e realiza palestras.

A Biblioteca é bem frequentada, mas os adultos leem pouca literatura e mais livros de autoajuda e livros espíritas.

As escolas de minha cidade todas possuem bibliotecas escolares.

Nas escolas municipais são distribuídos, semanalmente, um kit de livros que os alunos levam para casa. Os familiares também têm acesso aos livros que são distribuídos em forma de rodízio semanalmente. Há também o sistema do Autor Presente, que os escritores realizam palestras para as turmas. 

Fonte:

0 comentários: