CAZUZA mostra sua cara [Revista Biografia]


CAZUZA mostra sua cara 

Rebelde e contestador, Cazuza encarnou a figura do jovem de sua época: vivia de forma intensa e queria mudar o mundo. Entretanto, soube como poucos transformar sentimentos e paixões em poesia. Seus versos fortes e sua personalidade irreverente marcaram a história da música brasileira e vêm influenciando gerações até hoje, 23 anos após sua morte. É em homenagem a ele, batizado Agenor de Miranda Araújo Neto, que o Museu da Língua Portuguesa (SP) inaugura, no dia 22 de outubro, a exposição “CAZUZA mostra sua cara”, com curadoria do arquiteto e cenógrafo Gringo Cardia. Criado pelo Governo do Estado de São Paulo em 2006, o Museu da Língua Portuguesa é um dos mais visitados do País.

“Com esta exposição – a primeira em sua história dedicada a um criador que se destacou como compositor e não como escritor – o Museu oferece ao público uma abordagem dupla e indissociável sobre a Língua Portuguesa e a música brasileira como patrimônios imateriais de nosso País. Nela também está presente a marca do Museu, ao oferecer aos visitantes uma experiência multissensorial de grande impacto”, afirma o Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araújo. 

Montada no primeiro andar do Museu até o dia 23 de fevereiro de 2014, a mostra apresenta Cazuza como um dos expoentes da canção popular, que soube unir a tradição escrita à oral, fazendo a poesia circular livremente do livro para a música. “As pessoas se aproximam mais das palavras por meio da música em um país como o nosso, com uma tradição oral muito significativa. E a tradição escrita vai além dos grandes nomes da literatura: também é popular, está no sangue do brasileiro. Cazuza, afinal, era um poeta”, comenta Gringo, que contou com a consultoria da historiadora Heloisa Starling e do jornalista e crítico musical Silvio Essinger para construir a narrativa da exposição. A mostra pretende fazer o visitante embarcar em uma viagem pela obra e vida do artista, “fazendo-o sair do eixo, envolver-se e emocionar-se”.



 “Ao expor a obra de Cazuza, o Museu da Língua Portuguesa confirma sua vocação inovadora de celebrar a língua nos seus mais variados e ricos usos. O museu já recebeu a obra de Fernando Pessoa, Guimarães Rosa e Rubem Braga, entre outros. Chegou a vez de um letrista da música popular. Esperamos com isso nos aproximar ainda mais do público”, reforça Hugo Barreto, secretário-geral da Fundação Roberto Marinho. 

"Há dois anos, quando procuramos a Lucinha Araújo com a proposta de homenagearmos Cazuza no Museu da Língua Portuguesa, nossa ideia já era apresentar ao público o trabalho do artista, do poeta e do músico, mas com foco na sua inquietação e no seu inconformismo diante da realidade. Naquela ocasião, nem nos passava pela cabeça as manifestações de junho deste ano, que encheram de jovens as ruas do Brasil todo, muitos deles empunhando cartazes e faixas com pensamentos e letras de músicas do nosso homenageado. Assim, temos certeza que o Museu está absolutamente sintonizado com os tempos atuais e a obra do Cazuza mais viva do que nunca!", comemora Antonio Carlos Sartini, diretor do Museu da Língua Portuguesa.



A exposição “CAZUZA mostra sua cara” é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, do Museu da Língua Portuguesa e do ID Brasil, com realização da Fundação Roberto Marinho e do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e conta com patrocínio das Organizações Globo.

A mostra cenográfica e interativa, como já é uma marca registrada do Museu da Língua Portuguesa, apresentará a vida e obra deste poeta, músico, cantor e pensador que com sua poesia, irreverência e inconformismo sacudiu o cenário musical brasileiro nos anos 80 e 90. Dividida em salas, a exposição traduz a inquietação do artista e apresenta sua obra musical e poética de maneira lúdica e expressiva, de modo a agradar os jovens de todas as idades.



O  Museu, dentro do espírito da mostra, também vai oferecer oficinas gratuitas focadas no processo de criação de letras de música, conduzidas por grandes nomes da cena musical atual – como o cantor e compositor China, que abre a programação no dia 2 de novembro,às 15h. Estas atividades estão previstas para acontecer uma vez por mês, sempre aos sábados. As senhas serão distribuídas com 30 minutos de antecedência, no balcão do pátio de acesso ao Museu (Portão 1)), para até 30 participantes .

Vale lembrar que no dia da abertura da exposição ( 22 de outubro), o acesso ao Museu é gratuito e a visitação poderá ser feita até 22h ( a bilheteria fecha uma hora antes).




Cazuza, mostra sua cara"

Museu da Língua Portuguesa (Praça da Luz, S/N, São Paulo-SP)

De 22 de outubro até 23 de fevereiro de 2014


Horário de funcionamento: às terças, o museu fica aberto até 22h (a bilheteria fecha às 21h) | de quarta a domingo, das 10h às 18h (a bilheteria fecha às 17h) | fechado às segundas.


Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia entrada), com entrada gratuita aos sábados e às terças.


Informações (11) 3322-0080



Fonte:
Museu da Língua Portuguesa

0 comentários: