PENSANTE... “X” [Donna Boris]



PENSANTE... “X”

“Penso... logo existo!”

Essa é... ou era a lógica da vida... no passado?

Hoje, acho que a realidade é:

“Penso... logo não me deixam existir.”

Saber pensar virou um dos motivos mais fortes para:

Não ter espaço, não ter onde poder mostrar o potencial pensado, do ser pensante. Não seguir a teoria já tradicionalmente ensinada, gera espanto ou desconfiança. Mas... os diferentes são os grandes responsáveis pelas mudanças no mundo. E... a quem pode interessar tais mudanças?

Penso... logo, não me é dado o direito de ensinar o que aprendi. “Poeta que não fala de amor... não é “Poeta””. Ora, muito mais lógico que escrever versos “água com açúcar”, é acordar os corações para o cultivo dos sentimentos verdadeiros. É tão simples dizer: “Eu te amo”, mas como é difícil provar, construir, viver e cuidar do “tal amor”... parece que estou cheia de “aspas”. Não, eu não, o mundo sim. Se, não pertencemos a estereótipos já estabelecidos, somos colocados à margem da existência

Permito-me existir... nos meus versos livres.

Tenho espírito de passarinho e pensamento alado. Não quero “rótulos” a me nomear... O limite é onde a inspiração segue a bússola dos sonhos. E penso... penso que penso... estranhamente... pensante.

Permito-me existir... na coragem do meu pensar.

Acompanhada de mim... descendente de mim. Como se nasce e como se vai... assim de mãos dadas(..) Penso... e é tão simples se pensar que não ver. Eu sigo a refletir... penso porque penso... sigo pensante... sigo.



Donna Boris, nascida aos  trinta dias do mês quatro, taurina, mas não teimosa, no estado da Bahia, sob o céu de sua capital, Salvador. Soteropolitana. Administradora de empresas de formação, Poetisa de nascimento... “Aos nove anos comecei a versar e não mais parei... quarenta e dois anos (incompletos) já somam. Diversificando para contos, crônicas, literatura infantil e letras musicais. Por amor a literatura.., deixei de exercer minha profissão e me dedico integralmente a escrever. Dois filhos maravilhosos e um casal de netos... presentes divinos. Eis um pouco do que sou... o mais... a minha poesia explica. Link do blog:


0 comentários: