Por quê? [Jean Marcel]

Por quê? 

A conversa – ou seria um desabafo? – acontecia no bar do Tonho, e o assunto era o mesmo de sempre: mulheres.

– Pô, cara, fico indignado! Mulher é mesmo um bicho bizarro, quer ver quando se trata de sexo. Mulher devia ser igual torneira de hotel, com a indicação de qual é a quente e qual é a fria! Isso evitaria muito tempo e dinheiro desperdiçados.

– Que revolta, amigo...

– Ah, não me conformo, por que nós estamos sempre prontos enquanto elas nunca querem? Vivem regulando. Não entendo... Se é tão bom!!!

– Fácil – responde o Tigrão – É uma questão de matemática! Probabilidade... Conseguir no susto? De surpresa? No repente? Difícil, mais fácil ganhar na loteria! Por mais que você pense que não, elas se preparam para a ocasião. 

– Essa não, Tigrão, matemática? 

– Claro! Quer ver? A maioria delas só transa, por exemplo, se não estiver “naqueles” dias! Principalmente se não conhecem direito o cara.

– Puts, Tigrão, aí é cartão vermelho... Sem trocadilho.

– Pois é, praticamente uma semana por mês! Vinte e cinco por cento!

– Nossa, isso diminui extraordinariamente nossas chances!

– É... Sem falar na semana da TPM! Com essa, são duas!

– Cinquenta por cento?! Eca! Não tinha pensado nisso!

– Unrum. Mas tem outro problema...

– Tem?

– Tem! Tem aquelas que só gostam se for de manhã! Outras, só de noite... Conheci uma que só queria de tarde, depois do almoço. Desisti dela depois que tive uma indigestão!

– Ai ai ai... Aí fica difícil!

– Pode apostar! E a autocensura?

– Como assim?

– As mulheres só “vão” se estiverem vestindo uma lingerie que considerem sensual! Porque se justamente naquele dia estiverem inadvertidamente com aquela calcinha bege, vulgo modelo “da vovó”, aquela que usam para comer brigadeiro em frente à tv ou fazer a faxina do mês... não se iluda, não vai rolar, vão sair pela tangente...

– Que nóia...

– Unrum. Mas tem mais...

– Mais? Acho que eu já estou desistindo!

– E se a última depilação faz mais de dez dias?

– Que é que tem?

– Sem chance, amigo!

– Que besteira!

– É! Também acho, mas preferem dar uma desculpa a se mostrarem como a namorada do Tarzan!

– A Jane?

– Não, a Chita!

– Caramba... Não tinha pensando nisso!

– Mas elas pensam! Quer ver se não deu tempo de “fazerem” o pé...

– Aí também não! Pára! O pé, Tigrão? Mas que importância...? Quem olha o pé nessas horas?

– Quem? Elas... No espelho do teto! Pensa que olham para você? Não mesmo. Estão se analisando. Repare que até encolhem a barriguinha.

– Tô chocado!

– É... Não subestime a vaidade feminina, meu amigo.

– Nossa! Então... Aí fica difícil!

– Justamente: muito difícil! Agora me responda, você que não ganha nem par ou ímpar, sabe qual é a probabilidade de tudo dar certo num mesmo dia?


Jean Marcel- Escritor, professor universitário, palestrante. É pai de dois adolescentes. Um leitor voraz. Eclético, escreve contos, crônicas, romances e infanto-juvenil. Possui o blog brisaliteraria.com

0 comentários: