Almas gêmeas, raras, mas existem [Ronaldo Magella]

Almas gêmeas, raras, mas existem


No filme Amor além da vida se diz que almas gêmeas são raras, mas elas existem. Se você já encontrou a sua, parabéns, fim da linha pra você, é agora se preocupar com outras coisas, a próxima reencarnação, o futuro do planeta, viagens intergaláctica, mas se você não encontrou, bem, péssima notícia, você não irá descansar até um dia achar. 

Faz algum tempo que perdi, de certa forma, o interesse por relacionamentos, digamos, afirmativos, quando o cara precisa transar, mostrar aos outros que pode e consegue conquistar outras mulheres, isso não me passa mais pela cabeça. Já não procuro mais autoafirmação, preciso agora de sintonia, de companhia, de parceiro, de amizade, de vida a dois e não de desejo satisfeito.

E quando falo em sintonia, falo em vibrações, em paixão, em desejo, em vontade, mas acima de tudo em poder ser algo pra outra pessoa. Ter alguém que goste de você é ótimo, mas gostar de alguém e poder viver isso é melhor ainda, poder se entregar, ser quem você é, sem precisar mudar, sem precisar mentir, sem precisar se anular, é talvez, a melhor coisa do mundo, quando a outra pessoa te quer e te aceita como você é, e mais, faz tudo para que você possa ser quem você quer ser. 

Te permite viver, sonhar, ser feliz, está ao seu lado, busca te ajudar, conversa, aconselha e não apenas usa de você pra o desejo dela, gosta de cuidar, de estar junto, de ser algo a mais, de construir alguma coisa, um caminho, um destino, uma vida juntos. A pior solidão é a solidão a dois, acompanhada, quando você está com outra pessoa, mas não vive com ela, é casada, está na mesma coisa, mas vive em outro mundo, sem desejos e paixões diferentes, gostos e visões díspares. Isso dói e muito, é viver longe de si.

Muitas vezes bate uma solidão atroz, não que falte pretendentes, isso há, o que falta é simpatia, não pela beleza, mas pelas afinidades, pela conversa, pelo olhar, pelo futuro, por sentir que se pode ir adiante, que se pode arriscar, apostar, que se pode conversar, rir, caminhar, tentar, ser feliz. Muitas pessoas sofrem em suas relações pois apenas sentiram a superficialidade, uma corpo bonito, um bom sexo, mas não se importaram com a convivência, e isso é torna possível amores idênticos, almas gêmeas.

O filme diz que elas, as almas gêmeas, se acham, se procuram, se encontram, vivem, mas não morrem. O amor deve ser eterno, né? Só pode mesmo existir outra vida só for pra amar, pois aqui é difícil viver e mais, ir pra outro lugar pra viver sem amor, pra que mesmo? Mas encontrar essa nossa parte outra deve ser a sensação mais gostosa do universo, não se ver em outra pessoa, mas encontrar em outra pessoa o que lhe falta, a outra sua outra parte, o seu complemento, o suspiro de final feliz e fim, não preciso mais procurar, encontrei, sou feliz, e que o mundo agora venha, terei forças, tenho o que preciso para ir sem medo, sem dúvidas. 

Ronaldo Magella

Jornalista e Professor 


Ronaldo Magella é professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista, cronista, tem 33 anos, é do signo de peixes, não gosta de futebol, prefere livros, é formado em Letras e Jornalismo pela UEPB, tem especialização em linguística, e agora é acadêmico de Pedagogia pela UFPB, adora MPB, Rock, café, romance, paixão e café, não nessa ordem, trabalha hoje com internet, rádio, assessoria de imprensa, leciona, sonha e vive, mas sonha do que vive, afinal, enfim.

1 comentários:

DeahCristina - Prosas e Versos Poesias disse...

Amei esse texto... Me vi nele... :) Bom dia,amigo...

Abraços.

Andrea Cristitna.