“... se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olharia para o relógio...” Mário Quintana [Isi Golfetto]

“... se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olharia para o relógio...” Mário Quintana


O valor da vida não está na “duração dos dias”, mas em como fazemos uso deles.

Todos ganham, poucos valorizam!


Pense em algo valioso para você. Pensou? Agora, pense em algo insubstituível. Pronto? Então, agora pense em algo que você jamais poderia viver sem.

Se em uma das respostas (ou em todas elas) você mencionou o seu tempo, parabéns, você acertou.

Quando nascemos ganhamos uma moeda: o tempo. Segundo Carl Sandburg “o tempo é a única moeda que somente você pode determinar como ela será utilizada. Portanto, tome cuidado para não deixar que outras pessoas a gastem ou a roubem de você.”

Mário Quintana através do seu poema “O tempo”, diz: a vida é o dever de casa que trouxemos para fazer.

Quando se vê, já são seis horas!

Quando de vê, já é sexta-feira!

Quando se vê, já é natal...

Quando se vê, já terminou o ano...

Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.

Quando se vê passaram 50 anos!

Agora é tarde demais para ser reprovado...

Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olharia para o relógio. Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...

Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...

E mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.

A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Segue um vídeo, de cerca de 4 minutos, em que o palestrante vai complementar o nosso tema e comentar sobre a importância desse nosso tempo e a consequência das nossas escolhas e decisões.

Boa reflexão!


Não culpe a vida pelo que lhe acontece... ela apenas lhe dá escolhas e o responsável pelas decisões é você!

Por isso a importância de termos sabedoria no uso do nosso tempo: "Não podemos fazer o tempo voltar para trás, não podemos comprá-lo, vendê-lo nem trocá-lo!"


Isi Golfetto, mas pode me chamar de Isi.
"Não há idade para sonhar, mas para realizar um sonho é preciso acordar e agir."
Desde muito pequena, eu já sabia que no meu sangue corria o desejo de ensinar. Ensinar me encantava. Sempre que alguém pronuncia uma palavra errada, Isi estava lá para explicar e ajudar a falar da maneira correta.

0 comentários: