Conto de fadas ou Conto de falhas? [Isi Golfetto]

Conto de fadas ou Conto de falhas?

Por Isi Golfetto 

A vida é como um livro, você não pode mudar as páginas que já foram escritas mas pode começar um novo capítulo.

Atração, paixão, fascínio, amor... Toda essa mágica energia positiva que envolve esses sentimentos tão arrebatadores e passionais nos leva a pensar em histórias românticas, alegres, vibrantes, cheias de vida.

Algumas frases descrevem esse encantamento. Vamos completá-las? “E foram _______ para _______.” Ou “Até que a ______ os ________.”
Huumm! Será que você também pensou o mesmo que eu? Não estamos mais na época de contos de fadas nem romanceando uma ficção! Então vamos refletir um pouco sobre o tema:

Que palavras você usou para completar a primeira frase? Acredito que “felizes” e “sempre”. Mas você também não tem a impressão de que cada vez mais elas estão distantes do contexto dos romances atuais? Sempre virou sinônimo de muuuito tempo e este tempo parece que ficou adormecido no vocabulário dos contos de fadas. Em geral, o que define a duração dos romances hoje em dia é o “fast”. Enfim, estamos na era do “fast tudo.” Felizes então... Essa palavra no contexto de um relacionamento daria para escrever um outro post.

Se continuarmos seguindo a lógica da era do “fast tudo”, você deve ter completado a segunda frase com as palavras ... “morte” e “separe”. Pois é, se não há “tempo sobrando” para cuidar desses sentimentos eles realmente vão morrer aos poucos e sobreviver, por um tempo, aos trancos e barrancos até o golpe de misericórdia! Faz sentido?

Veja como os efeitos tóxicos do antagonista “fast” vai atuar no roteiro da nossa história na vida real: a atração cede espaço ao distanciamento, a paixão aos poucos começa a ser adormecida pela inércia, já a decepção será o veneno letal contra o fascínio e, por fim o amor, ah! o amor...  esse vai morrer à mingua nas mãos da indiferença.

Parece pouco para exterminar a nossa grande história de amor? Então junte a esses vilões implacáveis doses diárias de insensibilidade, discordância, hostilidade,... e acrescente a tudo isso falta de tempo, falta de atenção e falta de carinho.

Estou enganada ou é assim que se transformam “contos de fadas” em “contos de falhas”. Para finalizar qual seria um título apropriado para a nossa história? Talvez a frase mais patética que já se ouviu: “Foi bom enquanto durou”. 

Como deu para perceber sentimentos tão fortes como a atração, a paixão, o fascínio e o amor não acabam morrendo de “morte natural”. Eles foram sendo intoxicados aos poucos através da indiferença, da conversa surda, do olhar distante, do beijo frio, do desinteresse... E, não tenha dúvidas a atração, a paixão, o fascínio e o amor deram sinais de alertas suficientes de que algo não estava indo bem.

Concordo que a vida real é diferente da ficção. Mas viver um conto de falhas, cometendo os mesmos erros das experiências anteriores também não deveria ser a regra. Da mesma forma uma história não pode ser desfeita e nem os erros podem ser apagados. A única coisa possível é continuar apontando o lápis para continuar a escrever o restante que ainda falta da melhor maneira que puder.

Como escrever um novo capítulo de uma história em que a atração dure, a paixão queime, a magia do fascínio perdure e essa dedicação necessária para cultivar o amor se fortaleça? 

Na vida há duas escolhas primordiais: aceitar as condições como elas se apresentam ou aceitar a responsabilidade de mudá-las. Tentar mudar não é garantia de que você vai obter sucesso. Mas, se nada fizer nunca saberá que resultados virão das suas ações.

Portanto, conhecimentos adquiridos quando colocados em prática poderão fazer a diferença em sua história. 

- Comece por se conhecer e se amar. A vida é um espelho. Ela devolve o que você projeta nela. Para confiarmos a nossa vida a outra pessoa, antes devemos ter consciência do que fizemos e do que estamos fazendo com a nossa própria vida. 

- Atitudes nutrem mais que palavras. O amor não nasce adulto. Ele cresce através de pequenas atitudes. 

- Ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa. Mas não diga que não avisei: pessoas perfeitas não bebem, não mentem, não brigam, não discutem, não erram e não existem. Em um relacionamento existem pessoas que lutam para dar certo. 

- Momentos bons e ruins fazem parte da vida. A diferença é que um marca e o outro ensina. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. 

- Cada dia é uma chance que recebemos para melhorar. Para isso é essencial desintoxicar-se do vício do fast. É preciso criar um novo hábito - o desejo de estar junto porque... não existe falta de tempo, o que existe é falta de interesse. Porque quando a gente quer - madrugada vira dia, quarta-feira vira sábado, intervalo vira oportunidade.

Lembre-se: Ainda que o teu passado tenha marcas seu futuro está intacto e só depende das suas escolhas de hoje. 

Foi muito agradável estar em sua companhia.

Um grande e especial abraço 

Isi

Isi Golfetto, mas pode me chamar de Isi.
"Não há idade para sonhar, mas para realizar um sonho é preciso acordar e agir."
Desde muito pequena, eu já sabia que no meu sangue corria o desejo de ensinar. Ensinar me encantava. Sempre que alguém pronuncia uma palavra errada, Isi estava lá para explicar e ajudar a falar da maneira correta.

1 comentários:

Paula, Angelita, Izabela, Jussara, Daniel disse...

Ótimo artigo,penso da mesma forma, quando realmente se deseja estar perto de uma pessoa, não há distância e nem nada que separe. O que há realmente, são pessoas dispostas a encarar as dificuldades e superar obstáculos, e outras que são acomodadas e esperam receber as coisas boas da vida de mão dada, sem lutar ou se esforçar. São pessoas egocêntricas que entendem que as emoções dos outro devem atender às suas necessidades e desejos.