Contos de Amor e Crime: Um Romance Violento é muito mais que um livro [Alessandra Carvalho]

Contos de Amor e Crime: Um Romance Violento é muito mais que um livro


Por Alessandra Carvalho.

O romance escrito pelo autor Afobório ganha destaque por uma série de motivos. O livro é parte integrante do Projeto Balaclava, uma ação criada pelo próprio escritor e que o aproxima do leitor, disseminando o gosto pela leitura e o amor pela escrita. O Projeto Balaclava prima pelo extermínio do preconceito, e busca promover uma melhor convivência entre as pessoas, erradicando a violên-cia das ruas. O público-alvo são os jovens das escolas públicas de Carazinho/RS, cidade onde vive o autor, mas que inegavelmente atinge toda a comunidade. 

Afobório já é conhecido por seus trabalhos sociais que envolvem literatura e pessoas. E a Editora Os Dez Melhores não poderia ficar de fora de um projeto tão diferenciado como este. Um conceito que privilegia ação e resultado, pois atua onde realmente é preciso: entre a garotada, cara a cara. 


Contos de Amor e Crime: Um Romance Violento é um livro tão polêmico como a balaclava que isola o rosto do autor: 

– Não importa se sou bonito, feio, qual é a minha cor, onde eu moro, quan-to eu ganho. O que importa é o que eu faço, e não o que pensam de mim – afirma Afobório, que nunca deixa de ressaltar que ‘um homem vale pelo que faz, e não pelo que diz, ou pelo que tem’. É a cultura Punk. ‘Faça você mesmo’.

O romance é redigido em primeira pessoa e é subdividido em passagens intituladas de acordo com o tema exposto no trecho em questão. O livro possui 124 páginas e retrata a visão de um criminoso sobre a nossa sociedade. Um pris-ma com o qual não estamos acostumados. 


O personagem principal é Jozz, um jovem negro, morador de favela, que assume o papel de narrador e de algoz da sociedade, criado em um ambiente hos-til e preconceituoso que o coloca na situação de criminoso mesmo antes de se tornar um. Esta condição o revolta e o transforma em um homem de coração frio, que usa o crime e a violência como artifício para ganhar da sociedade o respeito que merece – mesmo que através do medo.

E a maestria de Afobório se destaca não só no momento de escrever o seu livro, como também no instante de colocá-lo como um objeto de debate com foco nas ações e escolhas que fizemos em nossas vidas. O escritor propõe que a sua balaclava é mágica, e que a mesma tem o poder de destruir tudo que há de ruim na vida destes jovens. É um contraponto importante que acontece durante a di-nâmica da oficina literária coordenada pelo autor. 


É muito claro que o discurso de Afobório expressa uma lição: escolhas er-radas terminam mal, porque desenvolvem cães de briga que não estão prepara-dos para amar, mas sim para odiar e matar.

Resumidamente, Afobório discorre que a falta de respeito – leia-se discri-minação em sua mais abrangente instância – é o principal propulsor de toda a violência que assola a nossa comunidade, desmistificando a imagem do dito ‘va-gabundo’, que simplesmente não gosta de trabalhar. Jozz afirma com todas as letras que o que ele busca é respeito, e justifica-se afirmando que, em uma socie-dade como a nossa, um negro favelado só existe quando empunha uma arma. Uma visão que assinala o desejo por respeito e status como pertinente a todos em nossa sociedade moderna. 

Em cima de toda esta estrutura, as oficinas literárias ministradas são finali-zadas com um momento importante: os alunos que quiserem, podem vestir a ba-laclava e pisar no racismo e na violência diante de todos. Um momento de muitas revelações, porque qualquer um pode falar sobre os seus medos, sobre os seus preconceitos, sobre as suas amarguras. É um desabafo, uma lição de vida para todos os participantes da atividade.

Afobório propõe que, em sociedade, devemos respeitar a todos, em todos os sentidos. E nada melhor que a utilização de um livro para promover integra-ção, valorização mútua e amor pela literatura. 


Para o autor, escrever o que a gente sente canaliza nossas angústias para o papel, e transforma realidades tristes em açúcar para a sociedade, sempre em forma de literatura. A proposta é trazer temas como o racismo e a violência para dentro de um gênero literário, com a finalidade de retirá-los das ruas e transfor-má-los em arte. É por isto que a última frase do autor em suas oficinas é ‘sorte, luz e literatura, sempre!’.

Em um contexto como este, certamente ‘a balaclava tem poder’, e a obra Contos de Amor e Crime: Um Romance Violento é mesmo muito mais que um livro. Trata-se de uma ação concreta, que promove reação e reflexão através das palavras.


Contato/vendas com o autor:


Ou através da livraria virtual da Editora Os Dez Melhores:

Ambos por R$27,00 (frete incluso) para todo o Brasil.

0 comentários: