EU NÃO AMAREI VOCÊ PARA SEMPRE! [Carlos Mion]

EU NÃO AMAREI VOCÊ PARA SEMPRE!


por  Carlos Mion
Artigo publicado no site Osegredo

Ele(a) prometeu amar você pra sempre, ser fiel, carinhoso(a), romântico(a)…

Que cilada!

Mesmo não tendo capacidade de sentir de fato o que é a eternidade, nós, seres humanos, insistimos em deseja-la. Na prática, sabemos que não duramos muito, e esse é um dos grandes motivos para apreciarmos tanto aquilo que nos transcende. Um grande exemplo disso é o amor. Não sabemos de certo qual a sua dimensão, quanto dele se possui. Dizemos apenas que é muito, pouco ou nada. Amor é emoção, é incontrolável, é imensurável. Se é eterno ou não, ninguém pode afirmar, mas é assim que o queremos, não é verdade? Para sempre.

Insistimos em acreditar que exista alguém que queira nos amar para sempre, ou ao menos, que queira nos amar enquanto tivermos a capacidade de sentir este amor. É isso mesmo, não estou sendo redundante!  A questão é que criar expectativas sobre algo impossível e que não se pode prometer (pelo menos não para você acreditar e esperar isso) gera enormes danos emocionais.

Por que insisto tanto em não acreditar em quem promete sentimentos? Porque o problema maior não está em quem promete. Podemos prometer qualquer coisa. O deslize aqui está em acreditar, mesmo que em nível subconsciente, em tais promessas.

Boa parte das pessoas que me procuram acaba por se apaixonar por expectativas, promessas, ilusões.

_ Ele parecia ser tão bom, tão sincero, tão fiel. 
_ Ela disse que sempre me amaria. Parecia ser uma garota diferente.

Por favor, palavras são palavras, ações são ações. Apenas uma pequena parcela das pessoas tem o hábito de fazer das palavras ações. E mesmo assim, no caso dos sentimentos não existe a possibilidade de prometer eternas sensações.

Vou dar um exemplo:

Posso prometer carinho “eterno” a uma mulher que eu estiver me relacionando. Enquanto eu estiver com ela, esse sentimento (o carinho) será percebido através de ações bem conhecidas: toques, delicadeza, cafunés, olhar angelical, cuidado, atenção, etc.. Agora imagine o seguinte: termino esse relacionamento com essa mulher, e de forma pegajosa passo a ir atrás dela diariamente. Insisto em voltar, e para tentar convencê-la disso, tento repetir as ações que eu praticava antes para ela sentir carinho. Cá entre nós, se a mulher não quiser mais nada comigo vai acabar sentindo pena e repugnância com a minha insistência, e todas as minhas ações relacionadas ao carinho serão sentidas por ela como algo enjoativo, grudento e repugnante. Mas minhas ações foram exatamente as mesmas!

Sim, foram, mas o que ela sentiu não.
Se eu prometo sentimento eterno a alguém, e esse alguém acredita nisso e começa a criar sinceras expectativas a respeito, passo a ser superior em sentimentos para ela. E isso é um grande gerador de apaixonamento. Consegue perceber? Se você acredita nisso, é porque precisa de sentimentos eternos (na verdade você acha que precisa) e ao mesmo tempo não os possui, então começa a criar fantasias sobre o que a pessoa prometeu.

É por esse motivo que não se deve acreditar em quem apenas promete sentimentos. Já as ações sim, estas são possíveis. O “sentir” depende de cada pessoa, depende do estado de ânimo e depende das situações comportamentais do momento. Sentir é uma interpretação interna. Sendo assim, você simplesmente não pode prometer fidelidade. Se fizer isso, fará apenas poeticamente, e quem estiver recebendo essa mensagem NÃO DEVERIA criar expectativas sobre isso.

Fuja das pessoas que prometem sentimentos: amor, fidelidade, carinho, etc.. Ninguém tem essa capacidade! Ao não ser que seja expressado poeticamente.

O que se pode prometer na prática são apenas as ações que PODEM levar você a sentir amor, carinho, etc..

Deixo, como conclusão deste artigo, as palavras de um filósofo que estudo há muitos anos: Nietzsche, que em sua obra, “Humano, demasiado humano”, expressa o seguinte:

Pode-se prometer ações, mas não sentimentos, pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou odiá-lo sempre, ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; mas o que pode perfeitamente prometer são aquelas ações que, na verdade, são geralmente as consequências do amor, do ódio, da fidelidade, mas que também podem emanar de outras razões, pois a uma ação conduzem diversos caminhos e motivos. A promessa de amar sempre alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, manifestar-te-ei as ações do amor; se eu já não te amar, pois, não obstante, receberás para sempre de mim as mesmas ações, ainda que por outros motivos. De modo que a aparência de que o amor estaria inalterado e continuaria sendo o mesmo permanece na cabeça das outras pessoas. Promete-se, por conseguinte, a persistência da aparência do amor, quando, sem ilusão, se promete a alguém amor perpétuo.

Quer saber se alguém é de fato fiel, carinhoso, sincero? Perceba suas ações. Elas revelam, mesmo que em nível subconsciente, a verdadeira essência da pessoa. 

Carlos Mion (f) - VISITE O SEU Site
Consultor comportamental com ênfase em comportamento feminino, psicanalista, palestrante, escritor, pós-graduando em neurociência clínica, e advogado. Minha missão é utilizar o que eu sei para fazer a vida de alguém melhor. Assim tudo valerá a pena.

0 comentários: