A arte de escrever e viajar através das palavras [Manoela Prusch]

Foto: Fernando Gusen
A arte de escrever e viajar através das palavras

25 de julho é o Dia do Escritor, em homenagem aos mágicos das palavras 

por Manoela Prusch

No dia 25 de julho de 1960, após a realização do primeiro Festival do Escritor Brasileiro, onde João Peregrino Júnior e Jorge Amado eram, respectivamente, presidente e vice-presidente, foi criado o Dia do Escritor, comemorado até hoje.

Escritor é quem transforma em palavras o amor, a angústia, o ódio ou o êxito. É quem leva o leitor a navegar pela fantasia, pela ficção ou até pela verdade, nem que esteja escondida nas entrelinhas. O escritor é, de certa forma, um personagem, que transporta o leitor pra outro mundo sem sair do lugar.

Para o autor caxiense Uili Bergamin, só Nietzsche conseguiu resumir perfeitamente o que o levou a entrar no mundo da literatura “Eu escrevo porque a realidade sozinha me esmagaria”. 

Bergamin tem oito títulos publicados, é colaborador de revistas e jornais, e palestrante. Ele revela “Não há manual ou receita pronta”. Para o autor, escrever é justamente jogar contra os padrões, afinal, qualquer obra de arte vem da originalidade. A criatividade de Bergamin tem origem tríplice: vivências pessoais, leituras realizadas e, claro, a imaginação. 

Para o autor, o Dia do Escritor é, na verdade, todos os dias. “Serve para chamar a atenção das pessoas para este personagem tão importante na formação do senso crítico das pessoas, do imaginário de um povo, de uma cultura”, reflete. 
Segundo ele, a literatura gaúcha tem crescido muito nos últimos tempos. De Érico Veríssimo e Simões Lopes Neto aos novos escritores que surgem a cada dia, os gaúchos têm se destacado. “Acho que o escritor gaúcho está numa crescente e tem história”, acrescenta Bergamin.

Já para um autor estreante, nos dias de hoje, independente de sua regionalidade ou de onde venha sua criatividade, há uma ferramenta que ajuda na divulgação e na prática da escrita: a internet. Em blogs, tumblrs ou até no Facebook, novos escritores postam seus pontos de vista, poesias e contos, criando uma nova modalidade de leitura, online. 

Mesmo com livros disponíveis para download gratuito na internet, para Bergamin, a literatura impressa não deixará de existir. Para ele, a leitura já passou por diversos meios, desde o pergaminho até a celulose “Na verdade, me preocupa mais o sumiço dos leitores do que do livro em papel”.



Fonte:

0 comentários: