Ianê Mello [Poeta Brasileira]


Nascida no Brasil, no Rio de Janeiro (RJ), no ano de 1963.
É educadora e pós-graduada em Pedagogia.
Identificada com as diversas propostas em textos literários, escreve também com resultados diversificados.
Seus textos incluem contos, crônicas, aforismos, haicais e poesias.
Alguns deles são publicados na internet, em sites, blogs e revistas eletrônicas.

Blogs Pessoais:
·         Labirintos da Alma
·         Outras Formas de Expressão
·         Diálogos Poéticos
·         Meus Vídeo-poemas
·         EntreGêneros

Participação como Colunista:

Textos na Internet:
·         Revista Zunai

Facebook:
·         Facebook ( Ianê Mello )
·         Poética do Encontro( Grupo Poético )

Contatoianerubens@gmail.com
             
iane.mello@hotmail.com 

POEMAS DE IANÊ MELLO


UM DIA PLENO


Um dia perfeito...
Um dia qualquer,
mas diferente
de todos os dias,
dias tão iguais! ...
Outro dia,
apenas um dia,
em que eu pudesse sentir
no meu coração a pulsar
a alegria de estar viva.
Em que minha alma
pudesse estar em paz
e meus olhos ao se abrirem
pudessem enxergar
tudo, tudo diferente...

Outra realidade
menos morta...
Outra realidade...

Um dia perfeito...
simples e unicamente um dia,
onde a paz fosse meu conforto.

Onde um sorriso
brotasse de meus lábios...
docemente.

Onde meus olhos,
já cansados,
 enxergassem além...

Ah, meu Deus,
como eu queria
poder viver esse dia!

Não mais que um dia,
apenas um único dia,
que de tão pleno me contentaria
e me deixaria fechar meus olhos
...

suavemente, num suspiro...

 adormecer ...


SUAVE SINFONIA

Sinto um som ...
um som que vem de longe...
suave, puro, apaixonado...
quase um murmúrio
em  meus ouvidos...
fecho os olhos
a melodia me invade...
doces notas
em acordes
tocam meu corpo...
posso senti-lo...
vibrante, entregue, lânguido
envolvido num abraço...
minha alma se enleva
num ritmo descompassado...
inevitável a entrega
em  tão suaves acordes
me desnudo...
me desfaço...
corpo em sinfonia
em mim se revela
vestido de fantasia
docemente eu sou

...

ELA.


AMORES GRIS

Nossos olhos não mais se vêem
Cobertos nossos rostos pelo véu da indiferença
E no vazio que entre nós se instalou
enchi de versos sua presença


Para me sentir mais perto construí
pontes de palavras pelo chão
Estreitando a distância que se fez
nos corpos lado a lado no colchão



E na penumbra da ausência distraída
brinquei de me enganar que era feliz
e numa ternura descabida
teci com palavras amores gris




PARCA MANHÃ

...e na manhã cinzenta e pálida
versos que perpassam o tempo gélido
cores esmaecidas encharcam olhos
frio que enrijece a espinha
densa corda a amarrar sentidos
estremecidos em suores que afloram
pobre manhã de sabores ocres
azedume e olores enchem o ar
de solidões cansadas e eternas
macerados sentimentos no acomodado
e o mais é silêncio e dor
na aspereza de seres que se perdem
em seus rostos marcas de uma vida
em seus olhos pontes de saudades
em seus corpos desejos inconfessos...

Ianê Mello
Todos os direitos autorais reservados a autora.

2 comentários:

adriane disse...

Muito legal este espaço. Tornei-me seguido, se não te importas, claro. kkkk
Adriane Bueno

Iane Rubens de Mello disse...

Agradeço muito pelo comentário. De fato é um excelente espaço em que o amigo Daufen Bach divulga novos e desconhecidos escritores e, dentre eles, tive o prazer de ser convidada.

Grande abraço, Adriane.