Um beijo para Angelina, um recado para os homens [Nina Lemos]

 Um beijo para Angelina, um recado para os homens

Eu não sou médica. E também não sei de tudo. Na verdade, não sei quase de nada. Por isso, como cidadã comum, li no inicio da semana o texto da Angelina Jolie e pensei: “nossa, que mulher foda”. “Nossa, como deve ser difícil um ícone de beleza tirar seus (maravilhosos) peitos para se prevenir contra o câncer”. E fui lá tocar minha vida, já que ela não é minha amiga, eu não poderia dar uma força. E, de novo, eu NÃO SOU MÉDICA.

Nem ia tocar no assunto. Até que alguns HOMENS do meu Brasil começaram a surtar. Falo de uma parcela pequena deles. Aqueles que têm voz ativa em blogs ou na internet (onde, ainda bem, todo mundo pode falar, o que é ótimo etc, mas também é O TERRENO para todas as piadas mais infames da face da terra).

Então, na real, eu queria mandar só um recadinho simples para esses SUJEITOS.  Como disse a querida Flavia Guerra, “que incrível ver uma mulher pensar em saúde em tempos em que tantas se mutilam por causa de estética”. Verdade. Costelas são tiradas, narizes deformados, gorduras sugadas, tudo em nome de uma porcaria de um padrão de beleza bizarro, aquele da noiva cadáver com cara angelical ou fatal. Angelina tem tudo isso e pensou na SAÚDE. Só por isso, aplausos. Muitos aplausos. Beijos para você, Angelina.

De novo, eu não sou médica. Mas sou MULHER. E sei que a gente ama nossos peitos. Assim como vocês, homens, amam os seus paus. Já pensou em tirar o pau? Ou ter que tirar o saco e ficar só com um? Deve ser horrível, não? Mas, bem, muitos  parecem não conseguir se colocar no nosso lugar. E o lugar da Angelina é o das moças. Brigada, Angelina. Você se provou uma ótima “sista”.

Mas eles não entendem o que é ter medo de achar um caroço cada vez que a gente vai ao ginecologista. Não, não entendem. O medo de pegar o exame do papanicolau, feito anualmente, não, não sabem. E muitos parecem não estar interessados em saber. Problema nosso.

De novo, eu não conheço a Angelina. Mas eu sou menina e conheço um monte de outras meninas que passam pelos mesmos medos que eu. Mamografia. Dói. Sabiam? Não, e pelo jeito nem querem saber.

Mas se eles não entenderam o recado, a gente entendeu, Angelina. De novo, obrigado. E BEIJOS! Em você, no Brad, nas crianças.


Fonte:

Nina Lemos-paga suas contas escrevendo há muitos anos. É repórter especial da revista Tpm desde sempre (ou seja, desde que a revista existe). É também uma das criadoras do site vintage 02 Neurônio,  e autora de cinco livros com o trio (que era formado por ela, Jô Hallack e Raq Afonso). É autora do romance Ditadura da Moda, que pouca gente leu porque a editora meio faliu na época do lançamento (mas ó, tá disponível para download de graça, é só dar um Google). Trabalhou por anos na Folha de S. Paulo, no Jornal da Tarde etc. Foi blogueira do Estadão. E agora quer virar blogueira ryca e ganhar vários brindes (mentira. É brincadeira). Ela ODEIA a palavra mimo. Nasceu em 12 de novembro de 1970 no Rio de Janeiro. Façam as contas e adivinhem o signo. No momento mora em SP, mas dizem por aí que está indo passar uma temporada em Berlin.

0 comentários: