Poesias em guardanapo viram livro de arte [Revista Biografia]


Poesias em guardanapo viram livro de arte

Antônio é um personagem de um romance que está sendo escrito. Ele é ficção viva e vai contar, em um livro de arte, por meio de guardanapos, uma história de amor, de desilusão e de recomeço que se passa em 1001 noites em mesas de bar. O autor é o publicitário Pedro Gabriel, de 29 anos, criador das poesias e filosofias de botequim que estampam os guardanapos reproduzidos no Tumblr Eu me chamo Antônio, no Instagram e no Facebook. O projeto gráfico do livro será assinado por MarianaNewlands e a publicação pela Intrínseca está prevista para novembro.


Pedro Gabriel começou a colocar suas ideias no papel — ou melhor, em guardanapos —para exteriorizar suas angústias, preenchendo as horas vazias entre o trabalho e a casa.  Costumava rabiscar em tudo o que via, em tudo o que tinha em mãos, em tudo o que cabia no bolso: recortes de jornal, cadernos velhos, contas vencidas, envelopes abertos… Certo dia, recostou no balcão de seu bar preferido, pediu um chope e um sanduíche, e começou a rabiscar em um guardanapo. Talvez usasse aquele pedaço de papel para limpar a boca e depois jogasse no lixo, mas, por algum motivo, fotografou-o com a câmera do celular. Depois de uns dias, percebeu que tinha uma pilha de guardanapos em sua gaveta.


Com o tempo, as frases foram se desenvolvendo, ganhando traço definido e um estilo próprio. Pedro Gabriel decidiu, então, que era chegada a hora de compartilhá-las com os amigos, publicando sua poesia em alguma plataforma simples e fácil de atualizar: encontrou o Tumblr. Logo o personagem Antônio migrou para uma fanpage do Facebook, criada em novembro de 2012, e caiu nas graças de mais de 260 mil leitores e leitoras de todas as partes, que em breve terão seus desejos atendidos: ver os rabiscos do poeta ganharem vida nas páginas de um livro.


Alguns dos guardanapos que estarão no livro Eu me chamo Antônio, de Pedro Gabriel


Fonte:


0 comentários: