TRINTA E DUAS FRASES TOLAS PARA LER ANTES DO VERÃO [Raul J.M. Arruda Filho]


TRINTA E DUAS FRASES TOLAS PARA LER ANTES DO VERÃO 

– Experiência é simplesmente o nome que os homens dão aos seus erros. (Oscar Wilde) 

– A história é um pesadelo do qual estamos tentando acordar. (James Joyce) 

– O pior governo é o mais moral. Um Governo composto de cínicos é frequentemente mais tolerante e humano. Mas, quando os fanáticos tomam o poder, não há limite para a opressão. (H. L. Mencken) 

– Pagar pensão à ex-mulher é como servir feno fresco a um cavalo morto. (Groucho Marx)

– Qualquer paspalhão que desafia um ventilador pensa que é Dom Quixote. (Stanislaw J. Lec) 

– Só os profetas enxergam o óbvio. (Nelson Rodrigues) 

– Quando um idiota faz alguma coisa que se envergonha, diz que está apenas cumprindo seu dever. (George Bernard Shaw) 

– Só há uma cura para os cabelos grisalhos e foi inventada pelos franceses. Chama-se guilhotina. (P. G. Wodehouse)


– Numa cabeça oca entra muito saber. (Karl Kraus) 

– Um jornal é um instrumento incapaz de discernir entre uma queda de bicicleta e o colapso da civilização. (George Bernard Shaw) 

– A mulher ideal é sempre a dos outros. (Stanislaw Ponte Preta) 

– Radical é um sujeito que, ao primeiro sinal de um resfriado, toma a extrema-unção. (Millôr Fernandes) 

– Nós, os liberais e progressistas, sabemos que os pobres são iguais a nós em tudo, exceto nessa história de serem iguais. (Lionel Trilling) 

– A virtude não passa de tentação insuficiente. (George Bernard Shaw) 

– A vida pode ser um cabaré, mas não no meu bairro. (Fran Lebowitz) 

– É difícil acreditar que um homem esteja dizendo a verdade, quando você sabe que mentiria se estivesse no lugar dele. (H. L. Mencken) 

– O sujeito que não se considera um gênio não deve se dedicar a fazer arte e literatura. (Nelson Rodrigues)



– Levei vinte anos para fazer sucesso da noite para o dia. (Eddie Cantor) 

– Não sei de onde saiu essa história de que sou tarado, só porque transei com minha sogra. E daí? Era a mãe dela – não a minha. (Lenny Bruce) 

– Hipocondria é a única doença que eu não tenho. (Oscar Levant) 

– O neurótico constrói um castelo no ar. O psicótico mora nele. O psiquiatra cobra o aluguel. (Jerome Lawrence) 

– Os políticos são os mesmos em toda parte. Prometem construir uma ponte até onde não há rio. (Nikita Krushev) 

– Quando se rouba de um autor, chama-se plágio; quando se rouba de muitos, chama-se pesquisa. (Wilson Mizner) 

– Muitos homens já se apaixonaram por uma mulher numa sala sob cuja iluminação eles não se atreveriam a escolher um terno. (Maurice Chevalier) 

– Certo dia, atrasei-me ao voltar da escola e meus pais pensaram que eu havia sido sequestrado. E aí entraram imediatamente em ação: alugaram meu quarto. (Woody Allen)


– Toda pessoa normal se sente tentada, de vez em quando, a cuspir nas mãos, içar a bandeira negra e sair por aí cortando gargantas. (H. L. Mencken) 

– Obscena não é a foto de uma mulher nua com seus pelos púbicos à mostra, mas a de um general fardado exibindo suas medalhas ganhas numa guerra agressora. (Herbert Marcuse) 

– Reuniões são indispensáveis quando não sequer decidir nada. (John Kenneth Galbraith) 

– Sou livre de qualquer preconceito. Odeio todo mundo, indistintamente. (W. C. Mencken) 

– A única maneira de um homem se comportar com uma mulher é fazendo amor com ela, se for bonita – ou com outra, se for feia. (Oscar Wilde) 

– Não se vive nem mesmo uma única vez. (Karl Kraus) 

– Basta você olhar qualquer família para não acreditar mais na paz duradoura. (Millôr Fernandes)




P.S: Reproduções de "naturezas mortas", pintadas por Paul Cézanne (1839-1906)


Raul J.M. Arruda Filho, Doutor em Teoria da Literatura (UFSC, 2008), publicou três livros de poesia (“Um Abraço pra quem Fica”, “Cigarro Apagado no Fundo da Taça” e “Referências”). Leitor de tempo integral, escritor ocasional, segue a proposta por um dos personagens do John Steinbeck: “Devoro histórias como se fossem uvas”. 




Todos os direitos autorais reservados ao autor.

0 comentários: