Devassidão dos meus passos [Carlos M. Monteiro]

Manifesto do Futuro – Devassidão dos meus passos 


Eu apreendi a dialogar com o silêncio da noite. Para que assim, eu caminhasse com a devassidão dos meus passos. Minha estrada é um compasso de loucuras descontroladas. Outro dia, afundava minha vida na água da justiça do homem. Eu lutava contra a humanização da moralidade.

Nesta luta do tempo, eu sonhava muito, inclusive, tive sonhos estranhos, sonhei que era morta com um tiro na cabeça. Mas antes da morte, minha boca era beijada sem paixão ou pudor, eu sentia que meus lábios ao serem tocados pelo meu assassino encontravam o sórdido amor. Estranho, não é?

Quando eu acordo, meu corpo está embalado pelo ritmo da energia onírica. Eu acordo vazia e sem emoção, afundando minhas lágrimas no poço da minha alma. Regurgitei palavras machucadas e malditas no papel em branco que, eu mesma tive medo de mim.

Não sei o que me traz fascinação no momento… Torturo-me por ser sozinha, por viver longe do meu coração. Meu maior romance foi ter vivido em uma inconstância de ser desejada e possuída pela morte. Estou ardente de transformações, ou beirando a mais uma enganação? Olho um reflexo no espelho, bate uma tristeza em imaginar que sou eu. Minha alma começa a fraquejar, a tempestade inculta pretende – me aniquilar…

Hoje estou crescida, portanto, sou maga e misteriosa, tendo vezes, uma sobrevivente venenosa. Acordei de um pesadelo que me deseja, acordei em mim mesma, pronta para versejar. Nunca tive um amor, aquele que me adora, nem beleza para que eu pudesse gritar, aflora!

Por enquanto, meu maior tesouro se chama, Manifesto do Futuro. Um livro que eu ganhei de um único amigo. Ele disse para eu cuidar bem deste volume, pois é exclusivo, foi criado para mim. Término essas palavras carregadas de um entusiasmo intimista. Não sei para onde ir, mas vou descobrir.

Ele esta aqui olhando para mim, pegando em minhas mãos, ajudando-me a escrever para o mundo. Não sei o que faria se não o tivesse encontrado.

Comecei a chorar… Ele me abraçou. Caloroso.

— Vamos, está na hora de seguir com o seu caminho. — seus olhos cintilava vida.

Respondi.

— Claro! Para onde vamos?

Retribui com um olhar carinhoso.

— Te levarei para o Caminho dos Francos. — ele me levantou, me abraçou com seus braços quentes e aconchegantes.

Diante deste momento, olhei para o céu, expressando palavras com meu coração.

— Obrigada por tudo. Obrigada Anjo sem Asas.

Eu sou a,Magia da Serpente Misteriosa.

FIM 

Confira a saga “Manifesto do Futuro” completa! 

Silêncio da Noite -Chamas ardentes da alma-Devassidão dos meus passos

Carlos M. Monteiro-Um dia poetizei minha insanidade sentimental. Estranhei o fato de me olhar no espelho e, encontrar um silêncio. Eu tive uma formação na alma, totalmente regada aos princípios da sobrevivência.
Mas esta estadia seria apenas um presságio do que estava por vir... O imaginário do meu coração ganhava tanta força, que não tive mais controle. Fui vencido e da derrota, regozijei das entranhas do meu pensamento, entrei em contato com o belo e o inútil. Eu gritava de uma forma diferente, tudo que nascia de mim, era abominavelmente esplêndido. Finalmente, eu reconheci as palavras. Hoje, admito! Escrevo para não morrer.
Blog: Regozido do Amor Email: antologiadevir@gmail.com


0 comentários: