Artistas locais representam cena paranaense; alguns se destacam com trabalhos premiados, como Fetiche, Sandra Hiromoto e Neni Glock [Revista Biografia]


Artistas locais representam cena paranaense; alguns se destacam com trabalhos premiados, como Fetiche, Sandra Hiromoto e Neni Glock

De 3 a 26 de outubro, Galeria Teix recebe exposição “Arte em casa”, com obras de 15 artistas locais. Entrada é gratuita. De segunda a sexta, galeria funciona das 10 às 19 horas, e aos sábados das 10 às 17 horas. Inauguração aconteceu no dia 3, quinta-feira.

Curadora da mostra, Jô Maciel destaca que objetivo da mostra é valorizar produção artística local, “diminuindo o distanciamento entre autor, obra e espectador”. Ideia é que público entre, observe as obras expostas e se relacione com elas, numa troca de reflexões própria das propostas artísticas.

Participarão da mostra: Archibox & Muller Wichello Design Collection, Fetiche Design, Juliano Monteiro Studio (Arquitetura e Design), Lumen Design Preto em Branco, Alex Teleginski, Beto Janz, Claudia de Lara, Felipe Kota, Ilka Passos, Josiane Moura, Marco Teixeira, Patricia Azoni, Rafael Codgnoto, Sandra Hiromoto e Neni Glock.

Cinema

Durante a exposição, são realizadas duas exibições de documentários dirigidos por Neni Glock. Nos dias 10 e 17 de outubro, às 18h30, convidados assistem aos filmes e em seguida participam de conversa com o diretor. Vagas são limitadas.

Conheça perfil de alguns artistas que participam da mostra

Alex Teleginski

Como restaurador e conservador de obras de arte, Alex Teleginski participou da conservação do acervo do MON e em na parte de pintura mural no restauro do Paço da Liberdade em Curitiba.

“Em tempos digitais, o foco da minha pesquisa está sendo projetado na infinidade de imagens que fazem parte do universo online, na qual desenvolvo uma apresentação em forma fotográfica. Nego-me a fotografar, pois acredito encontrar tudo o que preciso pesquisando na WEB. Trabalho com apropriações de imagens existentes na internet, reunindo fragmentos de inúmeras fotografias aliadas com manipulação e pintura digital. O resultado final é a criação de imagens desconhecidas pelo público, chamadas re-imagem.

Archibox

O grupo Archibox & Müller Wichello apresenta na mostra ‘Em Casa’ dois móveis inéditos da linha Stuff, a Wonderstuff e a Crownstuff. A linha Stuff foi inspirada no charme das estruturas barrocas e pelo toque vintage, capaz de deixar qualquer ambiente mais aconchegante. A linha também foi criada pensando em maximizar a flexibilidade e multifuncionalidade que os móveis geralmente possuem. Tanto o uso como o estilo de decoração para os ambientes podem variar, permitindo que o espaço vá do estilo mais clássico ao mais arrojado fazendo com que cada um se sinta literalmente Em Casa para decidir como usar a peça.

Beto Janz

Neste trabalho, intitulado “Mi casa es mi casa”, Beto representa a casa em forma de casulo, suscitando questões que vão do ostracismo social aos períodos de incubação, que são, muitas vezes, necessários para o crescimento do indivíduo. Ele deixa também em aberto, a interpretação de cada espectador, uma vez que a ‘casa’ de cada um, é refúgio mais pessoal e íntimo.

Claudia de Lara

A artista expõe em Galeria Teix desde 2011. Nesta mostra ela expõe a “Cadeira Ninho de Coral”, uma assemblage de tricot, crochet e fios, camadas e que ‘amolecem’ o objeto, tornando-o mais orgânico, trabalhando dentro da poética do aconchego. Os “Retalhos PH” brincam com a ideia de reciclagem com retalhos em um toalette. É como uma continuidade da série “Retalhos que Pertencem”, na qual o uso do suporte mole, os retalhos e as tramas de fios trabalham questões como a pesquisa, a disciplina, a paciência, a persistência, e a reflexão.

Fetiche Design

No processo de concepção e fabricação de objetos, o fetiche para criá-los, serem desejados e acrescentá-los de significados que ultrapassem valores estéticos ou funcionais. Tal conceito é o que inspira o casal Paulo Biacchi e Carolina Armellini da Fetiche Design, empresa curitibana de mobiliário, decoração e consultoria de tendências.

Josiane Moura

O fascínio com as cores é a inspiração para a artista. A composição dela nesta exposição expressa o universo físico de formas coloridas e a união de seres e objetos que leva a imaginar possibilidades, sensações, impressões e ideias dentro de uma única tela.

“Meus quadros são um mundo festivo que arregala os olhos. É justamente isto que acontece no quadro O ANJO. O observador pode vê-lo de maneira explícita ou imaginá-lo de acordo com suas convicções. Como se tudo fosse uma brincadeira de quem procura e acha, observa e vê”.

Juliano Monteiro Studio

Com formação em arquitetura, Juliano trabalha a ideia de cruzar plataformas. “O acúmulo de superfícies e o “blur” do limite entre arquitetura, arte e design, amplia possibilidades previamente estabelecidas. O pensamento moderno da classificação lógica de cada categoria ou trabalho não cabe mais dentro de um momento de transformação. A interconectividade das funções e a ação complementar contribuem para descobertas de novas proposições dentro do processo de projeto, seja de arquitetura ou design em qualquer esfera da produção criativa”.

Neni Glock

Fotógrafo e documentarista. Nascido em Curitiba, viveu 22 anos em Lisboa, Portugal, onde atuou como fotógrafo free lancer, para várias publicações portuguesas. Apresenta nesta exposição foto feita em Londres, e a outra peça é um quadríptico de uma foto feita em Curitiba e que mostra um cartaz (um rosto) colado em um muro da cidade e que sofreu, pixações por cima e desgaste do tempo, formando uma cena quase abstrata na particularidade das peças, mas que unidas formam uma figura bastante visível.

Patrícia Azoni

Arquiteta e urbanista paranaense dedica-se aos estudos de composições artísticas participando de mostras de arte e exposições com os painéis volumétricos. Ela busca explorar os efeitos plásticos das formas através de esculturas em painéis de madeira, nas quais as cores e volumetrias são criadas dentro de uma proposta que pode ser aplicada em vários segmentos, da escultura de parede a elementos de design e mobiliário. Nesta exposição, as obras Circuitos e Caleidoscópio que, aplicadas geometricamente e funcionalmente, remetem ao objeto Biombo.

Rafael Codognoto

Caleidoscópio, escultura interativa cubista gerada pela customização de um móvel art déco, no qual a investigação das gavetas proporciona mutações nos visores laterais. Acima do Caleidoscópio, duas Incubadoras remetem ao inconsciente e ao imaginário individual. Dentro, os tipos de deformação da memória se condensam em 13 objetos-assemblagem que integram a série Zodíaco.

Sandra Hiromoto

Em “Conexões”, como em algumas obras anteriores, a artista faz uso das letras, advindas de seu trabalho como designer gráfica e também das placas de rua dos países onde a artista esteve, e, embora entendesse a maioria dos significados, tinha dificuldades de leitura. Na pintura, elas aparecem embaralhadas, com sua leitura e significados subvertidos. Junto a elas, balões, como o som nas ruas, não manifestam diálogos compreensíveis.

Serviço

Arte em Casa

Quando:

Qui 03/10

às 19:00

de 4 a 26/10

Segundas, Terças, Quartas, Quintas e Sextas das 10:00 às 19:00

Sábados das 10:00 às 17:00

Onde

Galeria Teix
Av. Vicente Machado, 666
Batel - Centro
Curitiba
(41) 3018-2732 ou 3019-2294

Fonte:

0 comentários: