O ranking de uma vida: 10 filmes sobre relacionamentos [Kelson Santos]

O ranking de uma vida: 10 filmes sobre relacionamentos


Da jura de amor eterno aos tapas e beijos. Das decepções e descobertas à amizade. 10 filmes sobre relacionamentos complexos ou cheios de clichês.

Relações são geralmente os temas centrais de muitos filmes e principalmente seriados. Sou daquele tipo de pessoa que mergulha para valer num roteiro, na história, nos personagens, quase participando do longa e sempre tiro uma moral – ou imagino uma.

Então listei 10 filmes sobre relacionamentos que já me fizeram ter epifanias malucas na vida.


10. Frances Ha (2012)



Não é um filme exatamente sobre relacionamentos, pelo menos não com namorados. Mas eu não podia deixá-lo de fora… de qualquer lista. Quando Frances se vê sem seu namorado, melhor amiga e carreira, precisa fazer algo. É daquele tipo de filme que você quer que na verdade se torne seriado, de tão bom e cativante. É uma fase que todos os jovens e todas as pessoas passam na vida e por isso eu acho que seja completamente atemporal. 

9. Uma Linda Mulher (Pretty Woman, 1990)


Ok, piegas. Mas relacionamentos são assim, então está permitido. O curioso é ver esse filme hoje, ver como mudamos nossas vidas ao inventar smartphones, carros novos, outras coisas que surgiram desde os anos 90, mas não mudamos a forma como levamos os relacionamentos e como os dramas, sentimentos e desejos mantêm-se mesmo depois de tanto tempo. A velha história água com açúcar da Cinderella descoberta no subúrbio que passa por uma extreme makeover e tem um partidão milionário. 

8. Amor (Amour, 2012)


Amar nem sempre é fácil, ou melhor, na maioria das vezes não o é. O filme tira aquela impressão do cinema de que o amor é aquele roteiro absurdo de príncipes e magia. Amor pode ser uma rotina ao lado de alguém que te faça feliz por anos, e ponto. Após Anne sofrer um derrame, o filme se arrasta lentamente, agonizante, magistralmente conduzido pelos atores e diretor. Descubra o amor em faces e fases diferentes. E quando o pombo entra na casa? QUE AFLIÇÃO! 

7. Apenas Uma Noite (Last Night, 2010)


Sexo é traição? Ou mentir é trair? Um filme que abriu minha cabeça sobre ciúmes e mentiras. O final incomoda e vai cutucar quem gosta de finais felizes – se entenderem o contexto. Em uma noite, Joanna e Michael são um casal que está em lugares diferentes, mas na mesma situação. Enquanto ele viaja com uma colega de trabalho que claramente sente atração, ela encontra um ex e marcam um encontro. O que acontece quando a tentação e a oportunidade se juntam? Este filme. 

6. A Delicadeza do Amor (La Delicatesse, 2011)


Uma história de amor linda. Até o momento em que o mocinho morre. O filme é inesperado, digamos assim. Engraçado, diferente e completamente inesperado. Qualquer coisa que eu falar sobre a história é spoiler e digo que até o trailer é. Então se quer ser pego de surpresa pelo filme, assista sem googlear ou pesquisar. Confie nesta lista e na Audrey Tatou. 

5. De Olhos Bem Fechados (Eyes Wide Shut, 1999)


Como é a vida pós-casamento? Como se comportam as pessoas instigadas pelo proibido e sexual? Coloque Kubrick dirigindo Nicole Kidman seminua, narrando uma fantasia para provocar ciúmes enquanto puxa um beck incrivelmente sensual. Se esses motivos ainda não te convenceram para assistir, então fecho com: sociedade secreta que faz orgias sexuais. Mas o filme é mais do que as aparências, é sobre o que vai deixar no espectador. 

4. Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004)


Quem nunca desejou esquecer alguém e toda sua história porque terminaram de uma maneira dolorosa? Mas será que esquecer alguém e a dor é o certo? Será que não vale a pena ter vivido cada momento para valorizar seu relacionamento? Michel Gondry é um diretor fantástico em saber combinar ótima trilha sonora, história de ficção e humanizar tudo com personagens complexos – hello, Moonrise Kingdom tá aí para provar. Um casal passa por um procedimento que o faz esquecer tudo relacionado um ao outro… e a partir daí, estamos na mente de Joel que se questiona sobre o processo de
esquecimento do término de seu namoro e de todo sofrimento. 

3. Vicky Cristina Barcelona (2008)

Viagens sempre parecem deixar a gente com aquela vontade de sair ainda mais da zona de conforto, de fazer umas loucuras diferentes. Neste contexto, duas amigas vão para Barcelona e conhecem um espanhol sedutor, que as fazem entrar num rolo bem excêntrico. Gosto da leveza como os relacionamentos são tratados, apesar das histórias serem complicadas e enroladas. São relacionamentos flutuantes, destacáveis, instáveis. Nos filmes de Woody Allen, o destino é quase um personagem que age e interage com os outros, conduzindo a história. Cena favorita: “por um breve momento de paixão, abandona todas as responsabilidades”. 

2. 500 Dias com Ela (500 Days of Summer, 2009)


Se tem um filme que é o contrário de Diário de Uma Paixão é esse. Expectativas frustradas, término inesperado, a forma como nos apaixonamos, a forma como ficamos irritados com o ex, trilha sonora ótima e sinceridade são tudo que fazem desse filme um dos meus favoritos. Acho engraçada a maneira como muitas vezes podemos nos encaixar no papel de Tom, romântico irremediável ou no papel de Summer, que não acredita no verdadeiro amor. PS: quem nunca quis que acontecesse a cena do elevador na sua vida? 

1. Diário de uma Paixão (The Notebook, 2004)


Tinha que estar aqui, né? Eu não havia assistido a este filme, talvez porque sempre ouvi falar demais e não me encantava um roteiro baseado em um livro do Nicholas Sparks. Um belo dia, após um término de namoro (claro!), resolvi assisti-lo. E o fiz três vezes seguidas. É a história mais ridiculamente perfeita de amor de um casal que passa por altos e baixos. Acho que todo mundo deve ter assistido – e chorado muito -, mas caso não… faça num dia em que esteja bem feliz.

Deixei de fora alguns longas que merecem destaque igualmente, como Closer, Namorados para Sempre e outros. Também não incluí a ótima trilogia Antes do Amanhecer, porque dedicamos à mesma dois artigos dignos de leitura no blog, os quais podem ser lidos aqui e aqui.


- Podia discutir filmes, seriados e livros um dia inteiro, mas prefere discuti-los à noite, ouvindo suas playlists estranhas e improváveis. Seus traumas e indiretas resultantes dos relacionamentos passados viraram textos Na Cafeteria.

Fonte:

0 comentários: