Erick Tavares [Escritor Matogrossense]

Erick Tavares,16 anos, estudante de ensino médio. Sendo uma pessoa normal, no entanto, noto que tenho uma mente repleta de pensamentos ''aleatórios'' a qual eu deveria usar a algum fim.



A Mente Divina 


-Ei, o que é DEUS para você? 


-Hum? 


-É, você não é ateu, mas também não acredita não é? 


-Algo assim. 



-Mas no que você acredita, então? 


-Tem certeza de que quer ouvir? 


-Claro, acho que não há nada que você possa dizer que vá me surpreender muito... 


-Ok então, começarei.
-Eu sou deus. 
-O que? 


-Você é deus. 


-Como assim? Do que você está falando? 


-Seus pais são deuses, os meus são deuses, TODOS são deuses. 


-...? Está louco? 


-Veja, o que é DEUS? 


-Um ser perfeito, por que? 


-E o que é perfeito, em sua mente? 


-Não sei, algo bondoso, belo, generoso... 


-Se Deus é um ser perfeito, quer dizer que ele é completo, correto? 


-Sim. 
-Se ele é completo, existe um limite entre o perfeito e o ''ruim''. Ou seja, ele tem que ser extremamente bondoso e extremamente mal, para que ele seja perfeito.


 -. . .


-Nós somos o reflexo de Deus na terra, correto? Tudo dele está em suas criações certo? 


-Sim. 
 -Então quer dizer que todos nós juntos, tudo na terra toda junta, formaria Deus?


-...


-Deus não é nada mais do que uma mente. A minha mente, a sua mente. Todos nós formamos uma mente só, desde as pessoas mais bondosas com as mais ruins, pois, não existe o bem sem o mal, logo, não existe um ser perfeito sem ambos os lados. Assim sendo, Deus não é nada mais do que um ''cérebro'', a mente de todos. Não um ser divino ou místico, mas sim, psicológico.



A Morte

O livro era de capa dura e com uma cor escura, fosca.


-O que é a morte? O que é a vida? O que é existir?
Onde aparentemente há um inicio, em um piscar de olhos, termina. A falsa ilusão de que está vivendo apenas por que; pensa, anda, come, dorme, entre outras coisas. Por que um morto não pode existir? O único meio de se existir é ''vivendo''? 
...
A morte é algo complicado. Em um piscar de olhos, tudo, TUDO se torna escuro. A chama que indicava sua vida, se esvai. Você não pode mais pensar, andar, comer ou dormir. O que acontece então? Simplesmente, sumimos? Nossa 'alma' se torna algo incorpóreo e sobe em direção ao infinito?
...
Por que não se pode viver, estando morto? Quem foi que disse isso? Há sim um meio, não, VÁRIOS meios. Todos somos imortais. A vida e o após vida é só uma ilusão de quem na verdade somos. Nós só, ''saímos da caverna'' e entramos no mundo dos pensamentos. Esse, eu diria, que é o ''após-vida''.
...
Não podemos simplesmente sumir. Não. Somos mais do que isso. Somos humanos, somos a vida e a morte.

-Fecha esse livro e vai dormir filho! Já está tarde! 
-Tá bem, mãe. 
Então o menino fechou o livro, desligou seu abajur, e deitou de lado.



Ruivas

Oh Deus Fogo! Oh Deus Fogo! 


Obrigado pelo teu presente, Aquele 


que com os cabelos em chama, embeveceu 
meu ser, a longo de te desejar!



Oh Deus Fogo! Oh Deus Fogo! 
Teu corpo dominai-me, teu sorriso 


que se expande nas visões dos meus sonhos me fascina, 


Quero então que me permita, somente por um dia, 
o meu desejo de te desejar!



Oh Deus Fogo! Oh Deus Fogo! 
Abençoado fui, com sua pele sardenta tocando a minha, 


para quando estivar me entrelaçando entre seus braços e pernas, 
nos tornarmos um só!



Oh Deus Fogo! Oh Deus Fogo! 
Permita livrar-me de meus pecados, 


quando a noite chegar, para enfim perecer, 
sobre o calor do seu olhar!



O homem e a mulher

-Havia duas pessoas. Um menino, uma menina. Os dois eram muito próximos, e estavam no colegial. Sempre saíam juntos, iam para casa um do outro, riam juntos, etc. Eram amigos de infância. Ela era loira, olhos verdes e lábios carnudos. O rapaz, alto de cabelos cacheados e sardas. Mas é claro, como todo bom ''casal'' haviam boatos. Todos do colégio achavam que eles estavam saindo. Mas o garoto tinha uma namorada, então o que diabos estava acontecendo? As pessoas começaram a tratá-lo mal, ele estava a traindo, eles disseram. Houve até um garoto que o socou no rosto, para ver se ''caía na real''.


[...]


Por que aconteceu tudo isso? Não podia existir mais amigos de sexo oposto? Onde o homem sempre, SEMPRE tem de haver interesse?! Ou a mulher sempre tem que ser desejada, fala sério! Parece que a amizade está escassa. Não há mais relações mútuas sem interesse, não, não. Sempre há de ter algo, o ser humano sempre tem de ser egoísta, fútil, sólido, é impressionante. As vezes queria que tudo fosse mais simples, que o ser humano não fosse tão complicado...


[...]


-E o que aconteceu então?
-Bem, muitas coisas. Eu ainda acho que devia ter dito tudo isso naquela época, acho que tive medo. Ha ha ha, me sinto um hipócrita.

Uma mulher loira então entrou na sala, e deu um grande beijo com seus lábios carnudos na bochecha do Contador de histórias, resmungando: 
-Por que você ainda fala essas coisas para ele? Ele só tem doze anos.
-É verdade.




O Céu do amanhã

-A noite está bonita não?
-Sim, está com bastante estrelas. 
-É verdade, mas está ficando um pouco... comum.
-Não sei, sinto algo errado. Elas não parecem tão bonitas quanto dizem as historias. 
-Por que não?
-Não sei, pai. Pare de me fazer perguntas tão complicadas... 
-Olha, a Mintaka está muito brilhante hoje. -Disse o homem, apontando com o dedo a grande luz violeta no céu.
-Mas ela parece... estar apagando... 
-É só uma falha, daqui a pouco já deve estar consertado.
-É verdade, já o fizeram. Está até brilhando mais! 
-Você é realmente um fã de estrelas hein?
-Hehe. 
-Vamos, está quase na hora do jantar.

Então os dois saíram em direção à porta, e, ao apertar o botão ao lado, a grande placa de metal subiu, e os dois saíram da sala.

O grande barulho de máquinas já podia ser ouvido, os sons metálicos dos robôs já preenchiam seus ouvidos, e então, estavam novamente na reserva.

***


Erick Tavares, 16 anos, estudante de ensino médio. Uma pessoa normal com a mente repleta de pensamentos ''aleatórios''.


*Todos os direitos autorais são reservados ao autor.

0 comentários: