Conversando sobre Arte entrevistado Mario Grisolli [Marcio de Oliveira Fonseca]

Conversando sobre Arte entrevistado Mario Grisolli

por Marcio De Oliveira Fonseca 

Quem é Mario Grisolli?

Jovem artista e fotógrafo experiente, nasci em 22 de novembro de 63, carioca, minha mãe médica ajudava nos figurinos das peças que meu pai dirigia. 

Quando você começou a se interessar pela arte? 

Acho que foi aí que comecei a me interessar por arte. Minha casa estava sempre cheia de artistas de várias áreas. Sidney Miller, Tite de Lemos, Klaus Viana, e também Gastão Manoel Henrique que é testemunha na minha certidão de nascimento. Da infância me lembro do entusiasmos das idas ao MAM aos domingos. 

Qual foi sua formação artistica?

Estudei na Escola de Artes Visuais do Parque Lage nos anos 80. Eu ainda não entendia o que estava acontecendo, mas vi artistas em plena ação ali. Mas eu estava interessado em retratos naquele momento. Fui fazer fotografia.

Que artista influenciaram seu pensamento?  

Naquele momento Man Ray, hoje Turrell, para citar poucos.

Como você descreve seu trabalho?

Tenho pensado fotografia, feito fotografia. Em trabalhos recentes, mesmo tendo objetos de técnica mista como resultado, fiz fotografia. Pensar fotografia me permite pensar outras coisas também.
O que é necessário para um jovem artista ser representado por uma galeria?

Ainda estou para descobrir, mas de forma geral eu prefiro as relações cordiais.
É possível viver só de arte no Brasil?

 Eu ainda não consegui, faço jobs comerciais, que por outro lado me municiaram de muita técnica, de certa maneira financiaram meu aprendizado. Mas eu quero acreditar que sim. Arte é um sistema cheio de contradições. Não creio que se possa viver sem contradições.

O que você estuda? Como você se atualiza?  

Voltei a estudar no Parque Lage, leio e procuro debater com artistas amigos. Estou à procura dessa troca.

Qual é a importância da seleção para os Novíssimos do IBEU?

O Ibeu tem um time de curadores excelente, é um espaço em evidência, eu queria muito e estou feliz por ter sido selecionado.

Qual sua opinião sobre os salões de arte? Alguma sugestão para aprimorá-los? 

Em Piracicaba no ano passado o melhor de toda a experiência foi ter entrado em contato com outros artistas, outras formas de produção. Fiz amigos, abri minha cabeça. A troca deveria ser sempre mais fomentada.

Quais são seus planos para o futuro próximo e distante?  

Meu plano é trabalhar, aprofundar meu trabalho, quanto mais eu estiver pensando e produzindo melhor. É o que eu quero.


 Fragil


 Fragil

 Considerações Atávicas.



 Viagéns que Não Fiz.


Pronúncia Perfeita


 Pronúncia Perfeita.



 Um Segundo Banho para Heráclito.

Fonte:
http://arteseanp.blogspot.com.br/


Marcio Fonseca, 1943. Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Responsável pelos blogs art&arte marciofo,ocacadordeobjetos.blogspot.com e imagemsemanal juntamente com Brenda. Professor Adjunto Fac Med UFRJ e médico inativo; Estudou pintura e história da Arte com Katie van Sherpenberg e Arte contemporânea com Nelson Leirner.

0 comentários: