A cor da volúpia [Patrícia Dantas]

A cor da volúpia

Vermelho. Acho intenso demais, pode nos invadir sem demora; uma cor que esbanja adjetivos e sensações de volúpia que muitas vezes pode levar ao desespero, quando se traduz em sangue ou na sua minuciosa simbologia.

Quando penso em representação da vida, penso também nas cores. Em tudo elas existem, são partículas de vida. Vão de um bloody mary gelado à tonalidade do vinho que alimenta nossos sentidos.

Posso ainda falar mais que isto! Quando se vê, em sonho, um cavalheiro ofertar seu coração vermelho-sangue, tenro, palpitando mãos molhadas, o que se pode querer do dia seguinte? Não sair de casa, correr pelos espaços da imaginação e dar voltas pelo mundo interior em busca de algum resquício revelador daquele ato.

Meus sonhos são intensos - é como se uma parte de mim - a mais completa -mergulhasse numa viagem todas as noite em busca da continuação das viagens que fiz por outros universos paralelos, não importa o tempo, elas sempre retornam. Os roteiros são improváveis, mas sempre vejo construções em púrpura, decorações que abusam do vermelho; são cores que mudam a tonalidade, mas permanecem fetiches inescapáveis.

Também me vejo em vermelho, no calor do meu corpo, faces ruborizadas, um misto de intensidade. Definir tudo isso de uma vez só é muito perigoso.


Patrícia Dantas - Amante da arte de escrever e descobrir nas histórias a construção das palavras.Possuo, desde 2010, uma página atualizada no Recanto das Letras:http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=68582.Participei da Focus - Antologia Poética VII, pela Cogito Editora:http://www.cogitoeditora.com/patricia-dantas-focus-antologia-poetica-vii/ 
MeuBlog: Intimidades de uma Escritora http://intimidadesdeumaescritora.blogspot.com.br/Portal BVEC (Biblioteca Virtual do Escritor Contemporâneo:http://www.portalbvec.net/Patricia_Dantas/  Um brinde ao encanto das palavras

0 comentários: