Jeremias Soares [Escritor Brasileiro]


Jeremias Soares nasceu na cidade de Porto Alegre em outubro de 1983, mas viveu as suas três décadas de vida em Canoas, que fica ao lado da capital. Quando criança, escrevia revistas em quadrinhos e jornais que “vendia” aos pais por simbólicos dez mil cruzeiros. Durante alguns anos da adolescência, foi redator de um site voltado para o público jovem.

Criou gosto por histórias assustadoras, através de filmes e livros, já na fase adulta. Não esconde de ninguém que sua maior inspiração é o autor norte-americano Stephen King, o Rei do Terror.

Publicou em 2012 o seu primeiro romance, O Sobrado da Rua Velha.

Ainda neste ano, participou das antologias Colorados – nada vai nos separar e Contos Medonhos.

Em 2013, organizou ao lado de Afobório uma antologia inspirada no seu autor favorito. The King foi lançada em dois volumes e contém mais de quarenta contos.

Em 2014, ao lado da Editora Os Dez Melhores, prepara o lançamento do seu segundo romance: A Mão de Celina.

Além de seguir dando vida às suas histórias, Jeremias Soares atualmente é servidor público na Procuradoria-Geral do Município de Porto Alegre.

Fale com o autor:



O Sobrado da Rua Velha 
Editora Multifoco - 252 páginas - 1ª edição: setembro de 2012

O Sobrado da Rua Velha conta a história da aparentemente perfeita família Selbach, que apresenta na sua estrutura graves problemas que são muito bem escondidos. Joel é o sujeito casado com uma celebridade que está prestes a explodir por causa do stress da cidade grande. Cristina é a mulher amada pela mídia que sofre as consequências de um grande trauma. Pedro, um dos filhos do casal, é um garoto emocionalmente frágil...

Desejando acabar com esta situação, Joel resolve se mudar com a família para uma antiga casa localizada em um ponto escondido da região metropolitana de Porto Alegre. A tal propriedade, herança de família, foi restaurada e modernizada, tornando-se um lugar repleto de confortos que uma família da classe alta necessita. No entanto, existem marcas que nem a melhor das reformas é capaz de remover.

Acomodados na “casa dos sonhos”, os Selbachs acabam presenciando uma sequência de fenômenos inexplicáveis e assustadores. Fantasmas? Não, o problema no sobrado é muito mais complexo. Muito mais perigoso.






A Mão de Celina 
Editora Os Dez Melhores - 246 páginas - 1ª edição: abril de 2014

Quando perdemos uma pessoa para a morte, a perdemos para sempre.

Era no que acreditava Edu depois de enterrar Celina, sua jovem esposa, vitimada por um câncer galopante. No entanto, bastou conhecer sua nova namorada, Jana, para descobrir que os mortos também podem voltar.

Alguns para contar o que existe do outro lado; outros para mostrar que os caminhos da vida e da morte não somente se cruzam, como são exatamente os mesmos. Se da morte só conhecíamos o nosso próprio medo, agora chegou a hora de dar a mão para Celina, e deixar que ela nos conduza por este labirinto sombrio e íngreme que desconhecemos, que tememos, mas pelo qual somos fascinados.

O mundo dos vivos e dos mortos é o mesmo mundo.

E Edu irá entender que, quando perdemos uma pessoa para a morte, não a perdemos para sempre.

Há quem volte para contar.

E há quem volte para fazer ainda mais.

O lançamento do livro acontece dia 11 de junho de 2014, entre 16h e 17h, no Café Literário (Praça da Bandeira), durante a Feira do Livro de Canoas/RS. Após, o evento segue no estande da Associação Canoense dos Escritores. 

Mais informações podem ser obtidas no blog da Editora Os Dez Melhores (www.editoraosdezmelhores.blogspot.com.br) ou através do e-mail contato@editoraosdezmelhores.com.br

“— As minhas crenças a respeito da morte não importam. Você tem uma fé linda, Celina. Jamais perca isso. A fé não necessita de explicações. A fé precisa somente da fé. Se você acredita em algo, não precisa ouvir os meus palpites. Mas, sobre a morte, eu ouvi de um professor uma teoria interessante. As pessoas não sabem o que acontece depois da morte para não saírem por aí se matando. Se souberem que do outro lado existe o paraíso, elas não vão pensar duas vezes antes de facilitarem as suas passagens para o além. Acho que Deus provavelmente mantém os detalhes da morte sob segredo para fazer com que os seus filhos não percam o sentido da vida”.

(Trecho de A Mão de Celina)

Jeremias Soares 
Todos os direitos autorais reservados ao autor

0 comentários: